As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Redação sobre preconceito linguístico exigia norma culta

Redação

16 Dezembro 2011 | 10h59

* Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu

A redação do vestibular da Unifesp, aplicada ontem, era sobre preconceito linguístico, mas deixava bem claro que o aluno deveria escrever na norma culta. O tema partia da polêmica do livro Por uma Vida Melhor, aprovado pelo MEC, que diz: “Mas eu posso falar ‘os livro’?’ Claro que pode. Mas fique atento, porque, dependendo da situação, você corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico”.

Para o professor Vitor Galvão, do cursinho Etapa, o tema, apesar de muito discutido em sala de aula, tem certa complexidade. “Não foi mamão com açúcar”, considerou. Elizabeth Massaranduba, do Objetivo, pensa que a ampla discussão do tema tornou a redação fácil. O curioso era mesmo notar, numa redação sobre preconceito linguístico, a clara instrução para escrever na norma culta.