As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Redação da FGV fala do uso de moradores de rua como ‘roteadores ambulantes’

Redação Estadão.edu

03 Junho 2012 | 18h40

O vestibular de inverno para o curso de Administração de Empresas da FGV pediu aos candidatos uma redação sobre o uso de moradores de rua como “roteadores ambulantes” em Austin, Texas. Segundo reportagem do The New York Times, reproduzida em março pelo jornal Folha de S.Paulo, uma agência de marketing contratou os sem-teto para que caminhassem carregando transmissores móveis, oferecendo, assim, acesso à internet para os participantes de um congresso de tecnologia, em troca de doações.

De acordo com o texto, os sem-teto deveriam andar pelas áreas mais movimentadas do evento. Os participantes do projeto, chamado Homeless Hotspots, recebiam diárias de US $20 e podiam ficar com as doações obtidas de usuários dos serviços de rede sem fio.

O New York Times dizia ainda que surgiram alegações de que contratar pessoas em situação precária para fazer delas torres de comunicação sem fio era uma exploração. O responsável pelo projeto negou.

A banca da FGV, conhecida por cobrar reflexões mais amadurecidas dos candidatos, solicitou uma dissertação argumentativa na qual o aluno apresentasse seu ponto de vista sobre os fatos relatados na notícia e respondesse, entre outras coisas, se o progresso tecnológico e o progresso social caminham juntos.