As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Professor da Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, comenta a prova da Fuvest

Redação Estadão.edu

05 Janeiro 2014 | 19h35

A prova da 2ª fase da Fuvest seguiu o padrão dos anos anteriores, afirma o diretor pedagógico da Oficina do Estudante, Célio Tasinafo. Segundo ele, não tem como dizer a 2ª fase, que apresenta questões dissertativas, seja fácil: “Toda prova nesta etapa é exigente”.

Em literatura, Tasinafo disse que era esperado que caíssem questões sobre livros indicados recentemente – três das quatro perguntas tratavam de obras recentemente incluídas na lista de obrigatórias: Til, de José de Alencar, Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e Sentimento do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade.

“Não eram questões comparadas então nesse sentido ficou um pouco mais fácil para aqueles que leram o livro, porque só ler resumo e interpretações não ajuda”, afirma o diretor.

Quando ao tema da Redação, Tasinafo observa que o candidato precisava ter um plano bem estruturado “para não cair do cavalo”. “O tema acabou sendo muito abrangente. Para não fazer um texto um banal, o aluno precisava se calçar bem e pensar na estrutura de forma organizada”, diz.