As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que jornalistas devem saber usar Excel e mexer com bases de dados

Redação

30 Junho 2011 | 18h11

Por Cedê Silva

“Reportagem com Auxílio do Computador” (RAC) é um nome chique para usar a internet e o computador nas suas reportagens. Saber mexer com planilhas e bases de dados e conhecer sites de pesquisa além do Google ajuda a fornecer pautas, melhora as perguntas feitas às fontes e fornece fundamentos às reportagens. Na palestra dos jornalistas David Donald e Brant Houston, durante o Congresso da Abraji, foi possível descobrir alguns macetes.

É possível tentar por conta própria descobrir algumas coisas. Por exemplo, você sabe que país comprou mais armas dos EUA, em dólares?

INSTRUÇÕES: 1) Acesse http://tinyurl.com/david-skydrive, clique em “IRE Workshop” e baixe o arquivo “Weapons”.

1) Abra o arquivo no Excel. Para criar uma tabela, selecione a aba “Inserir”, depois “Tabela”, e dê OK.

2) Para criar uma tabela dinâmica e agregar os dados, agora selecione todos os dados e clique em “Tabela Dinâmica”. Quatro dados aparecerão à direita: nome do país, categoria das armas, quantidade, e valores.

3) Para descobrir qual país comprou mais armas, arraste “countryname” para Rótulos de Linha e “value” para valores. Descobriu? Clique aqui para saber a resposta correta.

DICAS PARA JORNALISTAS:

1) Aprenda a usar o Excel e o Access. Você saberá “entrevistar” os dados, o que permite novas pautas e melhores perguntas às suas fontes.

2) Para descobrir telefone e endereço de pessoas, use o http://pipl.com/.

3) A análise de redes sociais não tem nada de novo. Acesse http://www.ire.org/sna/ para
recursos dessa ciência, que permite matérias sobre grupos terroristas, comunidades de
imigrantes e até saber quem transa com quem numa determinada escola de Ensino Médio.

4) Você pode acessar várias bases de dados em http://ujima-project.org/resources. Por exemplo, esta sobre privatização, do Banco Mundial, te permite conhecer o que foi privatizado na América Latina entre 2000 e 2008 e quanto custou. Imagine comparar isso com os anos de eleições, ou descobrir quais setores movimentam mais dinheiro.

5) Usuários mais avançados de bases de dados podem usar o http://code.google.com/p/google-refine/ quando estão juntando tabelas de origens diferentes – por exemplo, uma com o Índice de Desenvolvimento Humano de países e outra de compra de armas.

6) A IRE, a “Abraji” americana, dá ainda mais dicas e recursos em http://www.ire.org/resourcecenter/nettour/internet.html.

Veja também nossa cobertura pelo Twitter