As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para Objetivo, questões de Exatas foram mais fáceis que as de Humanas

Redação

07 Janeiro 2013 | 20h53

Na opinião da coordenadora do colégio e curso Objetivo Vera Lucia da Costa Antunes, a prova de conhecimentos gerais da Fuvest, aplicada nesta segunda-feira, 7, foi “extremamente bem feita”. “Só podemos elogiar uma avaliação como essa, pois a Fuvest conseguiu fazer uma série de questões interdisciplinares e isso não é fácil”, comenta.

Na avaliação da coordenadora, apesar de as questões de Exatas explicitarem um rigor conceitual grande, elas eram simples. Mais simples, inclusive, que as de Humanas. “Os conceitos eram apresentados pelos próprios enunciados que, muitas vezes, já ofereciam as fórmulas que deveriam ser utilizadas para a resolução dos exercícios. Cabia ao aluno apenas saber aplicá-las”, afirma. Segundo Vera, a prova avaliou bem a capacidade dos vestibulandos em trabalhar com os conceitos apreendidos durante a vida escolar.

Vera ressalta que a matemática apareceu de modo bastante discreto neste exame. “Posso dizer que não tivemos nenhuma questão da disciplina”, diz. “A matemática apareceu apenas como instrumento para a resolução de questões de física e química”, afirma.

Quanto à interdisciplinariedade, a coordenadora acha que a Fuvest foi “feliz” em suas escolhas. Ainda assim, aponta que, em alguns casos, a fusão de disciplinas pode ter criado certa dificuldade. Vera cita, por exemplo, a questão de número 3 que, a partir de uma estrofe de Os Lusíadas fez perguntas sobre literatura e história. “Os alunos não estão acostumados com poesia épica e, justamente por isso, fazer a ponte com o contexto histórico da época talvez não seja algo simples para a maioria.”