As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para alunos da PUC-SP, d. Odilo ficou ‘chateado’ com eleição de novo papa; reitoria saúda Francisco

Redação Estadão.edu

13 Março 2013 | 18h46

Assim que o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio foi anunciado novo papa da Igreja Católica, na tarde desta quarta-feira, 13, alunos da PUC-SP ironizaram nas redes sociais o fato de o cardeal-arcebispo de São Paulo e grão-chanceler da universidade, d. Odilo Scherer, ter sido preterido na eleição. A reitora da PUC-SP, Anna Cintra, também usou a internet para comentar a escolha do novo líder da Igreja.

Circula no Facebook uma imagem do rosto de d. Odilo acompanhado do seguinte texto: “Bomba: dom Odilo é o primeiro colocado na votação do novo papa, mas o terceiro colocado é nomeado”. A montagem também traz a hashtag #chatiado.

PUC_Papa_MontagemFace_Rep_620.jpg

Na verdade, não se sabe quantos votos d. Odilo recebeu. Para ser eleito, Bergoglio (que assumiu o nome de Francisco) foi escolhido por pelo menos 77 dos 115 cardeais participantes do conclave, na Capela Sistina, no Vaticano.

A “brincadeira” dos estudantes faz referência ao processo de escolha da nova reitoria da PUC-SP, no fim do ano passado. Anna Cintra foi a terceira mais votada pela comunidade acadêmica, mas foi nomeada reitora por d. Odilo – pelo estatuto da universidade, o grão-chanceler pode selecionar qualquer nome da lista tríplice. A escolha abriu uma crise na PUC-SP. Alunos, professores e funcionários chegaram a entrar em greve e ganhou força um movimento que pede “democracia” na instituição. Anna Cintra é vista como reitora ilegítima.

Oficial

Em mensagem postada na página oficial da universidade no Facebook, a reitoria diz “compartilhar a alegria de todos os católicos do mundo” com a eleição de Bergoglio. “A eleição de Francisco renova nossa esperança e, confiantes no futuro da Igreja Católica, desejamos ao papa um pontificado auspicioso, pleno de realizações e de felicidade.”

Acompanhe a cobertura da escolha do novo papa no portal do Estadão.

Mais conteúdo sobre:

IgrejaPapapucpuc-spreitoria