As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pai, mãe e irmão na torcida por vestibulanda da Fuvest

Redação

07 Janeiro 2013 | 14h58

* Por Ricardo Brandt

CAMPINAS – A estudante Gabriela Perusso, de 17 anos, viajou de Santa Vitória (MG) até Campinas para fazer a segunda fase da Fuvest. “Hoje é o dia mais complicado dos três dias de prova”, afirmou Gabriela, que concorre a uma vage em Medicina. Toda a família – o pai, Walmir, a mãe, Ivani, e o irmão, Vinicio – viajou junto para acompanhar a candidata.

“Hoje é o dia em que ela está mais apreensiva. Mas acho que ela vai passar. Ela estudou muito para esse vestibular”, disse Vinicio, de 21 anos. Nesta segunda-feira os candidatos devem responder a 16 questões discursivas sobre as disciplinas do núcleo comum obrigatório do ensino médio (história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês).

Ao todo, 28.943 candidatos e 2.239 treineiros foram convocados para a segunda fase da Fuvest. O vestibular oferece 10.982 na USP e 100 na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

“Tomando como base o primeiro dia, acho que hoje a prova não será difícil. Minha maior preocupação era com a redação mesmo”, afirmou o estudante Leonardo Bertanha, de 16 anos. Ontem os candidatos responderam a 10 questões dissertativas de português e fizeram uma redação, cujo tema foi consumismo. O índice de abstenção foi de 8,5%.

Amanhã a prova será composta de 12 questões de duas ou três disciplinas, que variam de acordo com a carreira escolhida pelo candidato.