As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Objetivo elogia prova do segundo dia da Fuvest

Redação

09 Janeiro 2012 | 19h28

* Por José Roberto Gomes, especial para o Estadão.edu

O colégio Objetivo elogiou a prova da Fuvest aplicada hoje, no segundo dia da segunda fase do vestibular mais concorrido do País. As matérias de Exatas, que geralmente assustam os candidatos, foram consideradas de fácil resolução. “Uma questão de matemática era fácil, a outra média. Está dentro do padrão do ano passado”, afirmou o professor de matemática do curso, Gregório Krikorian. Já Alessandro Neri, que leciona química, destacou o fundo interpretativo das perguntas. “Não tinha que fazer conta, mas precisava de conceitos. Foi uma prova conceitual, diferente.” Apenas o professor de física Ricardo Helou Doca ponderou que uma das questões era específica demais. “A 12, sobre eletricidade, deve ter dado um certo trabalho. Mas a prova estava tranquila, sem enunciados dúbios.”

Wellington Pimentel, professor de inglês do Objetivo, afirmou que a Fuvest fez bom uso dos temas da atualidade na prova de hoje. “Inglês foi de nível médio. Exigia um conhecimento em história e em interpretação”, comentou.

Biologia deve ter deixado muita gente feliz, segundo o professor Constantito Carnelos. “Os alunos devem ter saído com aquele sorrisão.” Carnelos comentou que a prova foi bem feita e, se comparada à do ano passado, mais fácil.

A mesma facilidade foi verificada nas provas de Humanas. Para Vinícius Carneiro de Albuquerque, professor de história, o exame foi de nível médio, dentro do padrão Fuvest e exigia temas clássicos, de domínio dos alunos. Em geografia, a professora Vera Lúcia da Costa Antunes destacou a interpretação de mapas como a principal exigência da disciplina. “Também tinha que fazer as interrelações muito bem, como na questão que misturava regiões brasileiras e autores oriundos delas.”