As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘O ideal era que todo mundo fizesse o Enem’, afirma cadeirante de 43 anos

Redação Estadão.edu

03 Novembro 2012 | 11h58

* Por Davi Lira, de O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – O analista de segurança Marcello Martins, 43 anos, está fazendo Enem pela segunda vez, mesmo com emprego garantido em uma empresa telefônica. Com dupla formação – ele é graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e em Psicologia pela Universidade Paulista (Unip) – ele afirma que ainda tem coragem de tentar realizar seu sonho: cursar Medicina em uma universidade pública.

ENEM2012_sab_marcellomartins_WERTHERSANTANA_WEB.jpg

“Apesar de todas minhas dores (ele sofre polioneuropatia inflamatória), eu finalmente decidi fazer, depois de 6 anos, o Enem novamente”. Martins está realizando as provas na Uninove Barra Funda e não teve problemas em solicitar atendimento especial. Mas ele ainda não sabe se a estrutura do edifício está adequada para sua locomoção, já que os portões ainda não abriram.

Mais conteúdo sobre:

acessibilidadeenemenem 2012