As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No Acre, alunos de regiões isoladas têm transporte custeado pelo governo

Redação

03 Novembro 2012 | 12h06

* Por Itaan Arruda, especial para o Estadão.edu

RIO BRANCO – A aplicação do Enem em lugares como o Acre exige gasto adicional para o governo do Estado. Os concluintes do ensino médio dos municípios de Jordão e de Santa Rosa do Purus terão de fazer provas em outras cidades. O custo do transporte é garantido pela Secretaria de Educação do Estado. Ao todo, são 57 alunos dos dois municípios (45 de Jordão e 12 de Santa Rosa do Purus).

O governo do Acre vai gastar R$ 51 mil com as passagens dos alunos de regiões isoladas. Em função do baixo volume das águas dos rios, o acesso praticamente só é garantido por avião.

Os alunos de Jordão (região que ficou mundialmente conhecida pelas imagens de índios isolados que jogavam flechas no avião da Funai) farão prova na cidade de Tarauacá, distante 424 quilômetros de Rio Branco. Os alunos de Santa Rosa do Purus farão prova ou na cidade de Sena Madureira (139 quilômetros de Rio Branco) ou na própria capital.

O custeio das passagens não é visto pelo poder público como algo ruim. No sistema do antigo vestibular, lembra o secretário de Educação, Daniel Zen, só havia cinco cidades onde se realizavam as provas. Hoje, a seleção é feita em 20 municípios.

Mais conteúdo sobre:

Acreenemenem 2012Acreenemenem 2012