As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mãe fica de prontidão enquanto filha diabética faz prova

Redação

09 Janeiro 2012 | 13h51

* Por Tatiana Fávaro

CAMPINAS – Certos de que o apoio da família é uma das partes importantes de um processo seletivo como o vestibular, parentes de candidatos aguardam filhos e primos que fazem as provas da Fuvest, nesta segunda-feira, no Colégio Liceu Salesiano.

Após o fechamento dos portões, às 13h02, alguns familiares permaneceram do lado de fora. “Vou esperar minha filha. Ela tem diabete e se sente mais segura em saber que estou aqui fora, pois se acontece alguma coisa eu sei o que fazer”, afirma a empregada doméstica Hilda Francisco da Silva, de 57 anos, mãe de Mayara Silva Pontes, de 19. A garota já prestou vestibular na Unicamp e na Unesp e, na Fuvest, disputa uma vaga no curso de Ciências dos Alimentos da USP Piracicaba.

A dona de casa Jandira Celeste de Almeida, de 53 anos, veio de Atibaia com o filho Andre Luiz Almeida do Nascimento, de 17 anos, candidato a uma vaga em Economia. “Forte” em Exatas, segundo a mãe, o garoto disse à família ter achado “difícil” a prova de português, aplicada ontem. “Ele falou que a parte de gramática foi sua maior dificuldade. Mas ele é apaixonado por matemática e física e deve recuperar o desempenho hoje e amanhã”, afirmou Jandira. “Viemos ontem, hoje e venho amanhã para apoiá-lo. Ele fica mais tranquilo quando estamos por perto.”