As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Internauta pergunta: Educação a distância é bom caminho para formação de professores?

Redação

08 Junho 2009 | 11h07

O ministro disse não estabelecer diretamente uma ligação entre qualidade e modalidade de ensino, mas admite que ” tem preferência” pelo curso presencial. “O ambiente universitário favorece, na minha opinião, algo que vai para além do aprendizado das técnicas necessárias para o exercício profissional. Tem toda uma questão de formação de educação no sentido mais amplo que sofre benéfícios de uma permanência maior de um ambiente universitário”, explica.

No entanto, Haddad não descarta os cursos semi-presenciais. “Nem sempre é possível (ser presencial), sobretudo para professores em serviço que estão em regiões muito distantes dos grandes centros. Eu penso que um pólo de formação de professores, mesmo a distância, que dê condições a esse professor voltar para sala de aula, manter interação com um tutor, com professor universitário, receba material de qualidade, eu penso que é uma solução que possa ajudar boa parcela do magistério.”

Paulo Renato afirmou concordar com Haddad de que não é a modalidade que define a qualidade do curso. “É uma questão de método, foco, nos problemas que são cruciais de cada profissão. Sentimos muita falta nos cursos de formação da questão prática”, disse.

Para o ex-ministro, mais importante que discutir se é a distância ou não, o ponto mais importante é discutir a questão da prática e o foco na sala de aula.