As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Guga incentiva jovens a superar barreiras na vida escolar

Redação

26 Agosto 2011 | 19h13

* Por Marcelle Souza, especial para o Estadão.edu

Aos 34 anos, Gustavo Kuerten é um vencedor: conquistou títulos em 13 países, foi campeão do torneio de Roland Garros três vezes e chegou a ser o nº 1 no ranking da Associação de Tenistas Profissionais (ATP) em 2000. A história cheia de desafios foi apresentada pelo o ex-atleta durante a quarta edição do Ciclo Transformadores Brasileiros, realizado nesta sexta-feira, pela Fundação Estudar, no auditório do Museu do Futebol, no Estádio do Pacaembu.

“Transformar é sair da inércia. É estar satisfeito quando se conquista algo, mas não ficar conformado quando isso acontece”, disse Kuerten. Entre as passagens mais importantes, o ex-atleta contou como superou a morte do pai, os concorrentes, a falta de preparo no início da carreira e a lesão que o tirou das quadras.

As histórias e lições comuns ao esporte e à educação ganharam o tom descontraído de um Guga jovem e sorridente. “O tênis é um aprendizado enorme, mas você não pode se limitar só a ele. É preciso estudar”, afirmou o ex-atleta, que fundou em 2000 um instituto que leva o seu nome e promove ações educacionais, esportivas e sociais em Florianópolis.

O objetivo do ciclo de palestras da Fundação Estudar é valorizar o poder transformador do conhecimento, apresentando personagens que têm histórias importantes de aprendizado. Em edições anteriores, o evento já contou com a presença do consultor de empresas Vicente Falconi e do ex-ministro Pedro Parente.