As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Grevistas da PUC-SP prometem não atrapalhar Fuvest

Redação

25 Novembro 2012 | 11h42

SÃO PAULO – Alunos da PUC-SP em greve contra a nomeação da nova reitora da universidade disseram, por meio de nota enviada à imprensa na sexta-feira, 23, que não atrapalharão a realização da prova de primeira fase do vestibular da Fuvest neste domingo. O câmpus da PUC em Perdizes, zona oeste, é um dos locais de aplicação do exame, que começa às 13h.

Segundo a nota, as carteiras que foram retiradas da sala e amontoadas pelo câmpus como protesto seriam recolocadas em seus devidos lugares, de modo que as salas estejam prontas para a chegada dos vestibulandos da Fuvest. A Comissão Geral de Greve da PUC-SP prometeu, ainda, um ato silencioso nas dependências do câmpus durante a prova. A retomada do chamado “cadeiraço” será feita somente na segunda-feira. “Nossa iniciativa não pretende, de forma alguma, impedir ou prejudicar a performance dos vestibulandos na prova, uma vez que respeitamos o direito que possuem de realizar a prova para a qual se inscreveram”, diz o texto da nota.

O motivo da greve, iniciada há pouco mais de uma semana,  é a decisão do grão-chanceler d. Odilo Scherer de nomear a terceira colocada nas eleições, a professora Anna Cintra, à reitoria. O regulamento da universidade permite que Scherer indique um dos três mais votados no pleito, mas, tradicionalmente,  o primeiro colocado – neste caso, o professor Dirceu de Mello – é o escolhido.