As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fundação quer pagar US$ 1 milhão a ”melhor professor do mundo”

Redação Estadão.edu

02 Junho 2015 | 15h53

Uma competição internacional quer encontrar o (a) melhor professor(a) do mundo e vai pagar US$ 1 milhão para o (a) profissional. O Global Teacher Prize 2016, promovido pela Varkey Foundation (globalteacherprize.org), vai oferecer o valor a um docente considerado excepcional, “que realizou alguma contribuição de destaque à profissão, além de chamar a atenção para a importância do papel desempenhado pelos professores na sociedade”.

No ano passado, nenhum brasileiro se inscreveu na premiação, mas houve candidatos da América Latina na Argentina, Colômbia, Chile e Peru. Países como Estados Unidos e Índia lideram na quantidade de competidores.

É feita uma triagem de 50 melhores projetos com base nas inscrições feitas pelo site globalteacherprize.org. Em seguida, uma equipe da Fundação escolhe 10 finalistas para a fase final, em Dubai, na Índia. O prêmio é pago em 10 parcelas.

A vencedora do Global Teacher Prize 2015 foi a professora de Literatura dos EUA Nancie Atwell, que fundou uma escola sem fins lucrativos com provas personalizadas e bibliotecas em todas as salas. Os alunos escolhem os livros que querem ler e os temas das redações. A ideia proporcionou um aumento nas leituras: a média da instituição foi de 40 livros por aluno no ano, segundo a premiação. Ela doou o prêmio à própria escola, o Centro para Ensinar e Aprender (Center for Teaching and Learning).

Outras informações podem ser obtidas no site da organização: globalteacherprize.org