As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Flash mob das 18h55 tem novo confronto

Redação

19 Junho 2009 | 23h46

Por Elida Oliveira

Um aluno de História foi agredido por outro colega de curso ao fim da manifestação de estudantes antigreve, organizada ao modo flash mob (mobilização rápida), na Praça do Relógio da Cidade Universitária, dentro do câmpus Butantã da USP. O confronto aconteceu por volta das 20 horas na Praça dos Bancos, perto do ponto inicial do protesto. Rodrigo Souza Neves, de 22 anos, disse que foi “abraçado e cuspido” por um aluno que é a favor da greve.

O flash mob foi organizado pela internet por alunos antigreve. A intenção dos estudantes era fazer uma manifestação pacífica para demarcar que há opiniões divergentes na universidade.

O encontro foi acompanhado de perto por alunos grevistas e a Polícia Militar compareceu ao local. Com a garantia de que não haveria provocações ou depredação de patrimônio público, os policiais se afastaram. Os alunos antigreve abraçaram o relógio. De acordo com um dos organizadores da mobilização, Kiko Morente, cerca de 300 pessoas estavam presentes. Eles gritaram, entre outras frases, “Fora Brandão” e “USP, sim! Greve, não”, parodiando as palavras de ordem do movimento grevista.

No entanto, em um momento em que o flash mob já havia se desfeito e os alunos tentavam voltar para as aulas, houve o confronto. “Eles me empurraram e começaram a me bater nas costas. Eu me sentei no chão como forma de não reagir, até que outras pessoas o afastaram de mim”, contou Neto. Ele disse também que iria registrar queixa por agressão e afirmou ter provas de quem foi o agressor. “Há fotos e filmagens. Todo mundo viu.”