As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Detalhes fizeram a diferença na Fuvest, dizem estudantes

Redação

10 Janeiro 2012 | 23h55

* Por Tatiana Fávaro

JUNDIAÍ – Estudantes que participaram do último dia da etapa discursiva da Fuvest 2012 consideraram difíceis as questões de matemática, mas avaliaram como bom o conjunto de exames aplicados nos últimos três dias.

Segundo os candidatos, nesta terça-feira os detalhes fizeram a diferença; o segundo dia de provas teve as questões mais interessantes, pelo aspecto interdisciplinar; e o primeiro dia, o mais difícil de avaliar resultados, por se tratar também da prova de redação.

“Acho que fui bem o suficiente. Nem acompanhei as correções, vou esperar os resultados”, afirmou Arthur Martins, de 19 anos, candidato a uma vaga no curso de Engenharia de Alimentos.

“Fui bem hoje, a prova era mais específica”, afirmou o candidato Lucas Cardoso Petroni, de 27, que concluiu na USP a graduação em Ciências Políticas, cursa mestrado e prestou vestibular para Filosofia. Nesta terça-feira, ele fez questões de história e geografia. “Na verdade, para mim, a diferença da Fuvest foram as questões interdisciplinares. Achei isso bem interessante, porque não adianta você decorar acontecimentos, a questão exige muito mais que o conhecimento apostilado, depende de uma bagagem cultural”, disse. “Em geral, o vestibular exigiu esse tipo de informação do candidato. Mesmo na redação, cujo tema era participação política. Até para mim foi difícil, pela contextualização, imagino para um aluno que sai do ensino médio.”

Para Mariana Zago, de 18, que presta Fuvest pela segunda vez, agora para Marketing, as questões de matemática foram as mais difíceis do último dia. Ela também respondeu a perguntas de história e geografia. “As questões eram bem específicas”, disse.

Gabriel Felipe Ferreira da Silva, de 19, concordou. Ele fez questões de matemática e física. “Matemática estava bem mais difícil, mas nada impossível”, afirmou o estudante, que se candidatou ao curso de Física para conhecer o vestibular, mas promete se inscrever no próximo processo seletivo para disputar uma vaga em Medicina.