As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Depois da prova da Fuvest, candidata encara livro que está fora da lista

Redação

27 Novembro 2011 | 18h14

* Por Rose Mary de Souza, especial para o Estadão.edu

Depois da maratona de 90 questões da prova da Fuvest, a  candidata a uma vaga de Design Gráfico Elisa Hulshof, de 17 anos, ainda tinha fôlego para devorar páginas e páginas do livro “A mulher do Viajante no Tempo”, de Audrey Niffenegger enquanto esperava a carona em frente ao Colégio Salesiano, no bairro do Taquaral, em Campinas.

A obra não consta na lista dos pedidos para o vestibular da Fuvest e Unicamp. “Já li e reli todos aqueles que vão cair. Esse eu estou terminando”, falou, mostrando o marca página já quase no final do grosso volume.

Sobre a prova, ela afirmou que foi fácil, mas que seu ponto franco está na área de exatas. “As [questões]  que eu não sabia, eu chutei e por isso não posso dizer se matemática e fisica estavam fáceis. Sou muito ruim nisso”, disse.