As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Candidatos da Fuvest em Rio Preto acham provas de português e redação fáceis

Redação

06 Janeiro 2013 | 16h46

* Por Chico Siqueira, Especial para o Estadão.edu

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – As provas da segunda fase da Fuvest aplicadas neste domingo foram consideradas fáceis por candidatos ouvidos pelo Estadão.edu em São José do Rio Preto. Tanto treineiros como veteranos na Fuvest disseram que o nível de dificuldade ficou bem abaixo do esperado.

“A parte de literatura foi a que deu mais trabalho. Quem não leu os livros dançou. Mas quem leu tenho certeza que fez a prova sem dificuldade”, afirmou o treineiro Fabricio Carareto, de 16 anos.

“A minha previsão era de que a prova fosse bem mais difícil. Eu a achei até fácil, embora literatura tenha complicado um pouco”, disse Raphael Tonon, de 17, que concorre a uma vaga para Engenharia. “Talvez a prova de amanhã (segunda-feira) complique mais, mas também não acho que vá dá trabalho. A de terça-feira pode ser que elimine mais gente.”

“Acho que a prova ficou dentro das previsões, mas a redação achei que foi mais fácil do que eu pensava que seria”, disse Eduardo Almeida, de 17, candidato de Engenharia. Para ele, a prova de amanhã será a mais difícil da segunda fase. “Acho que estas, sim, podem complicar.”

Embora tenha achado a prova fácil, a maioria dos 15 estudantes ouvidos pela reportagem disseram que o exame foi mais difícil que o do vestibular da Unesp. “A prova de hoje, especialmente a de redação, foi menos difícil do que a gente pensava, mas foram bem mais difíceis que a da Unesp”, disse Janaína Oliveira, de 18, que prestou as duas fases da Unesp.