As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Candidato precisava saber o que era janota e títere’, diz estudante

Redação

04 Novembro 2012 | 18h42

* Por Davi Lira, de O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – “Na prova de Linguagens, os candidatos tinham de saber o que significava os termos títeres e janota”, diz Marcello Martins, de 43 anos. “Duvido que a maioria dos estudantes brasileiros saiba o que é isso”. Segundo ele, a prova ultrapassou o nível de conhecimento exigido no ensino médio.

“Além dos textos estarem imensos, houve muita citação de estudiosos estrangeiros e discussões acima do nível sobre o uso ortográfico do português”, diz Martins.

Para a estudante Eliane Lopes, de 18 anos, a quantidade excessiva de textos tornou a prova de linguagens cansativa. “Os enunciados estavam gigantes e tinha uma questão envolvendo a filosofia da língua portuguesa que não era nada fácil.”


“Na minha opinião, o item mais difícil foi aquela que utilizava o português do século 16”, diz Leonardo Lopes, 17 anos. No item, segundo ele, era necessário traduzir o português erudito para um texto atual.