As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Candidato passa mal e não termina prova da Fuvest

Redação

27 Novembro 2011 | 17h58

* Por José Maria Tomazela

SOROCABA – O candidato Gustavo de Souza Rocha Caldana passou mal e não conseguiu terminar a prova da Fuvest, em Sorocaba. Ele foi o primeiro a sair assim que o portão abriu, às 16 hs, no prédio da Unip, no bairro do Éden, onde 2,3 mil candidatos fizeram a prova. “Acordei com dor de garganta e vim para a prova meio na raça, mas não deu. Estava febril e com dificuldade para me concentrar. Agora é esperar a próxima”, disse o rapaz, que pretende cursar Letras na USP.

De cada três candidatos ouvidos pela reportagem, dois acharam a prova difícil. Leonardo Carvalho Araújo, de 17 anos, disse que patinou em física. “Eu tinha ido bem no Enem, mas hoje complicou.” Lucas Correa, de 17, que pretende cursar informática, teve mais dificuldade em matemática. “Foi pior do que eu esperava.” Matemática também atrapalhou
os planos de Jonatas Carlos Costa, de 19, que teve desempenho bom em física e química.

Para Ariane de Oliveira Medeiros, 17, que concorre à engenharia bioquímica, a prova foi difícil no geral. “Também fiz o vestibular da Unesp e me pareceu mais fácil que o de hoje.” Ela reclamou da organização. “Tive dificuldade para encontrar a sala, pois a indicação estava errada.”

Lucas Geraldini, 21 anos, acredita que o exame da Fuvest está evoluindo. “Prestei em 2008, e a prova de hoje estava mais elaborada, embora muito difícil.” Moira Bassan, 17, de Ibiuna, gastou três horas para fazer a prova, mas acha que não foi bem. “Fiz tudo, mas algumas questões eu já sei que não acertei e acho que vai ficar para a próxima.” Milena Berbel, de 17, não encontrou dificuldade na prova. “Estudei muito, mas valeu a pena, pois fui bem”, disse a pretendente a cursar Direito no Largo de São Francisco, em São Paulo.