As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aulas de segunda a sábado para passar de 1ª na Fuvest

Redação

03 Fevereiro 2012 | 20h44

terca_tomas_blog.jpg

Foto: Arquivo pessoal

Tomás Millan, de 18 anos, passou de primeira em um dos cursos mais concorridos da Fuvest, Arquitetura na FAU-USP. E agora acabou a angústia que lhe consumia desde o fim da segunda fase do vestibular: “O que vou fazer este ano?”.

Primeiro, ele vai descansar até o início das aulas, em março. “Vou viajar, fazer autoescola, sei lá. Ainda não tinha conseguido sair de férias direito”, diz. Depois, planeja aproveitar ao máximo a vida universitária. “Sei que terei professores excelentes.”

Para conseguir a aprovação, Tomás teve uma rotina puxada em 2011, principalmente no segundo semestre. Assistia às aulas do 3.º ano do Vera Cruz pela manhã.

De lá, ia direto para o cursinho. Aos sábados, ainda tinha aulas de linguagem arquitetônica, das 10h às 19h, para se preparar para as provas específicas da FAU. “Domingo ainda tinha lição para fazer, mas tentava descansar”, conta.

Como estava no último ano da escola, decidiu concentrar a atenção nas aulas dos professores do Vera. “Era mais fácil do que aprender no cursinho, onde eu tinha 150, 200 colegas”, diz. Mas, segundo Tomás, o cursinho foi importante para direcionar seu foco. “Foi bom saber o que eu precisava estudar, como os assuntos caíam e os tipos de questões mais frequentes.”

Nem ele acreditou quando um amigo ligou para contar que havia visto seu nome na lista de aprovados. “Precisei eu mesmo ver para acreditar”, afirma. Como passou na Fuvest, desistiu da vaga no Mackenzie. “Foi bom ter feito o Mackenzie para ver saber como é uma prova específica para Arquitetura.”

Entre abril e julho, Tomás falou sobre a preparação no blog Rotina de Estudante, do Estadão.edu.