As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre as nuances de Montreal

Redação

14 Dezembro 2011 | 20h30

* Por Marina Lazaretti Monaco, de 22 anos, estudante de Letras na USP. Fez curso de francês no Canadá

berri_folhas.jpg

“Entre agosto e novembro de 2010 estive em Montreal, no Canadá, para aprimorar meus conhecimentos em francês, pois curso Letras na USP com habilitação no idioma. Escolhi a cidade por ser mais barato do que ir para a França e porque meus pais já haviam estado lá anteriormente e gostaram muito.

Fiquei hospedada na casa de uma família – o pai era canadense e a mãe, francesa. O sotaque dela era fácil de entender, mas o dele era bem difícil. Notei que os québécois, como são conhecidos os nativos, são muito patriotas, mas somente em relação à província do Quebec e não ao Canadá, e nutrem o sentimento separatista.

Há muitos brasileiros na cidade, morando e também fazendo intercâmbio. Montreal é bastante europeia: há influência francesa por todos os lados, desde as construções, principalmente na velha Montreal, que utilizam o mesmo estilo dos franceses, até na comida.

Algo que me chamou a atenção e deixou espantada foi a quantidade de jovens usando drogas nas ruas – lá as drogas são descriminalizadas – e de brigas entre grupos. Mas, apesar disso, a cidade é muito segura, arborizada, limpa e o transporte público, eficiente. Eu já viajei para muitos lugares, mas Montreal é uma das cidades mais bonitas que já vi.”

Veja também:

Intercambistas contam suas experiências
Programas de intercâmbio no Canadá
Leia mais notícias sobre intercâmbio