As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As luzes de NY

Redação

14 Dezembro 2011 | 16h47

* Por Caio Allan dos Santos, de 17 anos. Auxiliar administrativo na OAB-SP e calouro de Administração com ênfase em Comércio Exterior na Universidade São Judas Tadeu. Está fazendo curso de inglês em Nova York

DSCF1126.JPG

“Como é possível sonharmos tanto com alguma coisa e, ao realizá-la, tudo passar tão rápido?

Hoje fez 11 dias que cheguei aos Estados Unidos e, neste primeiro texto, vou contar para vocês como tomei a decisão de fazer intercâmbio e sobre os primeiros dias aqui em Nova York. Volto para o Brasil no dia 24.

Tudo começou em setembro de 2010, quando, sem minha mãe saber, comecei a procurar cursos nos exterior pois tinha essa vontade de viajar e estudar. Em dezembro daquele ano, mais precisamente no dia 8, fui com minha mãe até a EF para pegar o orçamento e saber como funcionava todo o trâmite. No dia 15, saí mais cedo do trabalho para dar entrada no passaporte e contratar o curso com a agência, e ali começava minha jornada rumo aos EUA.

Depois de quase 1 ano desembarquei em Nova York. Quando o avião estava pousando, a primeira coisa que pensei foi: “Oh my God, I achieved my dream! I’m in New York! (Meu Deus, alcancei meu sonho! Estou em Nova York!)”. Havia chegado o grande dia.

DSCF0622-001_1.JPG

A emoção foi muito grande. Quando saí do avião fui para área de imigração, onde fiquei por uma hora esperando na fila. Logo após, peguei minhas malas e saí. Havia muitas pessoas com placas e muitos chegavam para me oferecer carona, celular para ligar, etc. Não me atrevi a aceitar nada. Como não localizei o meu transfer, pedi para anunciarem e a pessoa me achou. Que carrão! Tudo bem que Nova York só tem carros grandes e lindos, do tipo “também quero um”, mas quando entrei neste só disse “Wooow!”.

Conforme ia andando pelas ruas a caminho da escola da EF, observava as paisagens, casas e prédios. Lindos! Os enfeites de Natal por aqui são fantásticos!

Cheguei à escola às 19h15 (horário local) ou 22h15 (horário de Brasília). Comi um sanduíche natural, tomei banho e dormi. Estava cansado, porque não consegui dormir durante as 10 horas de voo. Acordei às 7h (horário local) morrendo de fome, e o brunch só seria servido às 11h.

Depois rolou o que eles chamam de “Registration, orientation and testing”. Todos os alunos novos se reuniram no auditório e os membros do Administrativo da EF nos registraram (ganhamos carteira de identificação de estudante, ou ID card, como chamam aqui), nos orientaram em relação aos procedimentos da escola e aplicaram o teste de nivelamento para quem ainda não tinha feito.

DSCF0625_001.JPG

Após o almoço nos encontramos às 14h (horário local) para fazer um tour por Manhattan. Conhecemos o Rockefeller Center (e a famosa árvore de Natal), a Times Square e o Hard Rock Cafe. Cada minuto em Nova York é precioso, você têm que aproveitar. Cada pedaço, cada canto desse mundo. E é impossível se perder. Ah, e as luzes da Times Square são de deixar qualquer um apaixonado.”

Veja também:

A classe C descobre o intercâmbio no exterior
Intercambistas contam suas experiências
Veja programas de intercâmbio nos EUA
Leia mais sobre intercâmbio