As aulas de alemão começaram!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As aulas de alemão começaram!

Redação

07 Março 2011 | 08h56


Carolina come fondue com as amigas Beatriz Aquino e Isa Aniceto

Nessa semana comecei a me sentir mais estudante e menos turista. Ir pra faculdade todo dia e ter 6 horas de alemão faz qualquer um se sentir menos turista – ou mais estudante! Nossa professora é uma alemã muito engraçada, com uma expressão fácil sem igual e apaixonada por idiomas. Frau Neuss (se pronuncia Frau Nóis) fala e escreve em latim, grego, árabe, alemão, francês, italiano, russo, suíço-alemão e entende um pouco de espanhol.

Na minha sala, havia, além de mim, muitos orientais, uma mexicana, um canadense muito engraçado e mais duas brasileiras muito legais. Esse era nosso grupo de todos os dias, o que garantiu a diversão durante as duas semanas de aulas. Apesar de rápido, no curso aprendemos vocabulário e a estrutura do alemão (realmente muito complicada). Também aprendemos a pronúncia do idioma:

J= som de i;
?= som de SS;
v= som de f;
eu= som de oi;
ä = som de ê

E finalmente o z = tss.

Nessa semana, fizemos muitos amigos. Somos, mais ou menos, 20 latinos de todas as partes, mais dois espanhóis que sempre estão com a gente. Esse é o grupo que sempre se reúne, para almoçar e jantar juntos, ou apenas se encontrar em casa, à tarde, para ter companhia. As pessoas de outras nacionalidades são mais individualistas, exceto algumas, como nosso amigo Geoff, o canadense.

Em uma de nossas festas, queríamos comprar um saco de gelo e os nossos amigos europeus olharam com uma cara muito engraçada pensando “que tipo de pessoa compra gelo?”. Bom, mais tarde fomos ao supermercado e não havia saco de gelo, mas havia saco de 10kg de sal (eles usam pra derreter a neve. A gente, no máximo, na picanha e para gelar mais rápido a bebida que está no gelo!). Aí, você lembra que não está no Brasil.

Ah! Esqueci de comentar! Quando cheguei aqui na Suíça, via muitas pessoas de muletas pela rua. Muitos jovens inclusive. E eu não entendia nada… “o que será que acontece aqui?”. A resposta é fácil e óbvia: temporada de esqui.

Quanto a fondue: dispensa comentários. Muito bom! A única coisa que muda é a qualidade do queijo e uma bebida que eles tomam – além do vinho branco. Kirsch – licor de cereja negra. Você pode molhar o pão nesse licor antes de colocar no queijo ou tomar aos poucos como um digestivo. É uma combinação de sabores bem interessante!

Carolina Andraus tem 22 anos, é aluna de Administração no Insper e faz intercâmbio de seis meses de Business na Universidade de St. Gallen, na Suíça