As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alunos acham prova de matemática fácil

Redação Estadão.edu

08 Janeiro 2013 | 18h27

Os alunos convocados para a segunda fase da Fuvest resolveram nesta terça-feira, 8, 12 questões de duas ou três disciplinas, de acordo com a carreira escolhida pelos candidatos.  Segundo os estudantes ouvidos pela reportagem, a prova de matemática foi uma das que menos dificuldade apresentou.

“Os cálculos exigidos pelas questões eram muito simples”, diz João Vicente Fernandez, de 18 anos, vestibulando de Direito. “As questões de geometria exigiam um olhar mais atento para a identificação de algumas áreas, mas só. A resolução era bem fácil”, afirma.  Nesta terça, João teve de fazer as provas de matemática, história e geografia. Segundo o estudante, as questões de exatas abordaram probabilidade, trigonometria, áreas de paralelogramo e função de 2.º grau.  “Entre as provas que fiz, senti maior dificuldade em geografia por não ter acompanhado muito bem os temas exigidos”, diz.

JoaoGOmesHelvio600.jpg

 João Pedro quando prestou vestibular na Unesp


A estudante Thais Félix, de 17, fez as mesmas provas e concorda com João. “Por incrível que pareça, matemática foi a mais fácil das três disciplinas”, diz. A jovem  tenta uma vaga em Administração na USP de Piracicaba. Na sua opinião, a prova de história surpreendeu, pois trouxe tanto questões de atualidades como de história antiga. “De modo geral, acho que a prova de hoje foi a mais difícil entre as de segunda fase”, afirma.

João Pedro Gomes, de 19, busca uma vaga em Medicina pelo terceiro ano consecutivo. Nesta etapa, o jovem resolveu as provas de química, física e biologia. “Acredito que a prova de hoje foi a mais difícil da segunda fase, o que é mais do que justo, uma vez que ela avalia as disciplinas que os candidatos mais usarão na universidade e também em sua carreira”, afirma. A seu ver, a de química foi a mais fácil, apesar de “trabalhosa”.  O estudante saiu confiante do exame. “Estou tranquilo. Acho que tenho chances de passar e ainda tenho Unicamp pela frente”, diz.