As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Abstenção do vestibular da PUC-SP chega a 6,27%

Redação Estadão.edu

02 Dezembro 2012 | 19h23

Entre os quase 20,4 mil inscritos, 1.279 candidatos não compareceram neste domingo, 2, ao vestibular unificado da PUC-SP – uma abstenção de 6,27%. Os estudantes concorrem a 6.235 vagas distribuídas entre PUC-SP e outras instituições que adotam o exame da universidade como critério de seleção. São elas a Faculdade de Medicina de Marília (Famema), a Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (FDSBC), a Faculdade de Enfermagem do Hospital Israelita Albert Einstein (Fehiae), a Faculdade Santa Marcelina (FASM) e as Faculdades Integradas Rio Branco (FRB).

Cerca de 20 estudantes foram barrados na entrada do câmpus de Perdizes, zona oeste da capital – principal local de prova do vestibular organizado pela PUC-SP. O fechamento dos portões estava previsto para as 13h45 e o início da prova ocorreria às 14 horas. Nesse intervalo, alguns estudantes chegaram e ficaram para o lado de fora. Foi o caso de Marcela Santarelli, de 18 anos, que tenta uma vaga em Medicina. A estudante desesperou-se, tentou forçar a sua entrada e, quando viu que não conseguiria, sentou-se no chão e começou a chorar. Instantes depois a jovem foi informada de que o portão reabriria 14 horas para os atrasados que já se encontravam no local. A prática, de fechamento e reabertura dos portões, já é comum no exame da universidade.

Marcela e outros estudantes alegaram ter recebido informação incorreta na confirmação da prova. O local do exame estava indicado como “Campus PUC (Monte Alegre)” e o endereço, como Rua Ministro Godói. Alguns jovens, no entanto, se confundiram e dirigiram-se até a rua Monte Alegre, sede administrativa da universidade. Outros jovens também alegaram que não tinham seus nomes na relação de candidatos que prestariam o vestibular naquela unidade. Ana Maria Domingues Zilocchi, coordenadora geral da Coordenadoria de Vestibulares e Concursos da PUC-SP foi procurada pela reportagem para comentar o caso mas, por conta do exame, não pode falar.

O exame aconteceu em meio a uma crise institucional da universidade, desencadeada pela nomeação da professora Anna Cintra como nova reitora da PUC-SP. Atualmente, alunos e professores estão em greve. Apesar do momento conturbado, o exame aconteceu sem qualquer intervenção.

Cerca de 10 alunos da PUC-SP abordaram os vestibulandos na saída e entregaram a eles adesivos com a inscrição “Greve geral” e contaram um pouco da origem do momento conflituoso da instituição. “É muito importante conversarmos com os nossos possíveis futuros bixos, para que eles saibam o que está se passando aqui”, diz Gabriela Freitas, aluna de Psicologia. “O mais preocupante foi perceber que muitos deles sequer tinham ideia do que está se passando”, afirma. De acordo com Gabriela, o grupo dirigiu-se à universidade por volta das 17 horas, para uma mobilização silenciosa, sem gritos ou qualquer palavra de ordem. “Sabemos do nervosismo que é comum aos vestibulandos e não queremos, de modo algum, atrapalhá-los”

O gabarito será divulgado nesta segunda-feira, às 14 horas, no site da instituição. Os resultados serão divulgados no dia 18 de dezembro e os convocados terão entre os dias 19 e 20 de dezembro para efetuar a matrícula.

Mais conteúdo sobre:

puc-spvestibular