USP matriculou 32,3% de alunos de escola pública em 2014

Paulo Saldaña

05 Junho 2014 | 18h04

POR VICTOR VIEIRA

O número de alunos de escola pública que entrou na Universidade de São Paulo (USP) neste ano saltou para 32,3%. Como o blog revelou, o índice foi maior do que no ano passado, quando 28,5% dos matriculados eram da rede pública.

Do total de inscritos que vieram da rede pública, 30% se declararam pretos, pardos e indígenas.

Os dados foram apresentados hoje pelo pró-reitor de Graduação Antônio Carlos Hernandes. Entre algumas das carreiras mais concorridas, a quantidade de candidatos de escola pública também foi alta. Na Faculdade de Medicina da USP, 41,2% dos 250 ingressantes vieram de escola pública. Já na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, 30,6% dos matriculados vieram da rede pública.

Em outras unidades, porém, a quantidade de alunos de escola pública foi abaixo da média. Na Escola Politécnica, 22,5% vieram de escola pública. Na Faculdade de Direito, o índice foi de 18,9%.

MUDANÇA

Para a próxima edição do vestibular, haverá mudanças no cálculo do bônus a alunos. Antes o calculo da bonificação era feito de forma escalonada, a partir do número de questões acertadas por cada candidato. Nesse formato, a média geral de bônus dados era de 9%.

Agora os candidatos de escola pública e pretos, pardos e indígenas só precisarão acertar o patamar mínimo de 30% da prova. Os bônus variam entre 12% e 25% sobre o desempenho no vestibular.

A expectativa da Pró-Reitoria de Graduação é aumentar entre 4% e 6% a proporção de alunos de escola pública já no próximo ano. Pelo Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior de São Paulo (Pimesp), plano proposto pelo governo estadual aos reitores das universidades estaduais, em 2014 já deveria haver 35% de alunos de escolas públicas nessas instituições. Para 2015, a expectativa era de 43% e, no ano seguinte, 50%. Ao adotar o sistema de bônus, a USP não estabeleceu metas.

 

Mais conteúdo sobre:

cotasFuvestMarco Antonio ZagoUSP