Sindicato de docentes da USP pede anulação de transferência de Hospital de Bauru

Sindicato de docentes da USP pede anulação de transferência de Hospital de Bauru

Adusp defende que a decisão foi irregular, uma vez que a votação não teria atendido o quórum estabelecido no Estatuto da universidade.

Paulo Saldaña

02 Outubro 2014 | 14h36

COM VICTOR VIEIRA

A Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo (Adusp) encaminhou ofício à reitoria solicitando a anulação da decisão que desvinculou o Hospital de Reabilitação de Anomalias Cranofaciais (HRAC) de Bauru da instituição. O sindicato defende que a decisão foi irregular, uma vez que a votação não teria atendido o quórum estabelecido no Estatuto da universidade.

No final de agosto, o Conselho Universitário (C.O.), órgão máximo da USP, aprovou por 63 votos a favor, 27 contrários e 16 abstenções a transferência do HRAC para a secretaria Estadual de Saúde. Entretanto, o Estatuto prevê a necessidade do aval de mais de dois terços dos cerca de 120 membros do C.O. para aprovar a criação, extinção ou incorporação de unidades. Para a Adusp, não houve maioria qualificada para validar a medida.

A desvinculação do HRAC, conhecido como Centrinho, e do Hospital Universitário (HU), da capital, foram propostas pelo reitor Marco Antonio Zago para aliviar a crise financeira da universidade, que gasta 104% das suas receitas com salários. A medida foi alvo de resistência dos sindicatos, servidores dos hospitais, além de docentes e alunos dos cursos da área de saúde.

A decisão sobre o HU deve ser analisada pelos conselheiros em breve, mas ainda não há uma data definida. Em entrevistas, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) tem negado interesse da secretaria de Saúde em abrigar a unidade.

A solicitação de nulidade foi também encaminhada pela Adusp aos conselheiros do C.O.. De acordo com Ciro Correia, presidente da Adusp, a transferência do hospital para o Estado ou uma organização social reduziria a qualidade do atendimento. “Não vamos permitir que a reitoria destrua nossos modelos de hospitais, que funcionam melhor do que os outros”, afirmou ele, em entrevista antes do envio à reitoria e conselheiros. A Adusp pede que o tema seja incluído na próxima pauta do Conselho Universitário.

A reitoria da USP informou que o assunto está sendo analisado pela Procuradoria Geral da Universidade.

 

* O blogueiro esteve de férias e volta agora à atividade normal 🙂

Mais conteúdo sobre:

crise USPRodasZago