Jovens de Paraty fazem cobertura da Flip

Jovens de Paraty fazem cobertura da Flip

Pelo terceiro ano consecutivo, o projeto conta com a parceria do Estadão

Paulo Saldaña

28 Julho 2014 | 18h54

A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) só começa na quarta-feira, dia 30, mas a partir desta segunda cerca de 30 jovens da cidade já estão pelas ruas da cidade em busca das notícias mais quentes da festa, dos segredos da cidade e das pessoas que fazem a festa. Os jovens fazem parte da FlipZona, braço educativo da Flip que é voltado ao público adolescente. Pelo terceiro ano consecutivo, o projeto conta com a parceria do Estadão.

O repórter Paulo Saldaña (que assina este blog!) acompanha os participantes da pauta à edição dos textos. Os próprios estudantes, todos moradores de Paraty, são os responsáveis pela cobertura, que vai mostrar bastidores, detalhes da programação, descobrir personagens anônimos e famosos que visitam a cidade, na divisa entre Rio e São Paulo.

Você acompanha toda a produção por aqui.

Além de ser um trabalho educativo para quem faz, a ideia é proporcionar aos leitores uma visão privilegiada. A Central FlipZona conta ainda com a monitoria da professora Thalita Aguiar, do escritor Leandro Leocádio e também com a coordenação da Aline Resende.

Em um casarão pertinho da Igreja da Matriz funciona a redação da Central FlipZona. “Aprendo muita coisa aqui, porque da para conhecer muita gente, fazer contatos”, diz o estudante Matheus Costa, de 18 anos, que participa do projeto há seis. “O Luis Fernando Verissimo foi o cara mais legal e simpático que eu já conversei”.

Os repórteres da central também vão acompanhar a programação oficial da Flip, Flipinha e da própria FlipZona.