Dilma sanciona PNE na quarta e lança nova etapa do Ciência Sem Fronteiras

Presidente deve sancionar o PNE sem vetos. Governo vai se comprometer a bancar bolsas do Ciência Sem Fronteiras para cumprir promessa

Paulo Saldaña

20 Junho 2014 | 20h33

A presidente Dilma Rousseff (PT) vai sancionar o Plano Nacional de Educação (PNE) na próxima quarta-feira, dia 25, em evento no Palácio do Planalto, em Brasília. O PNE traça metas e compromissos para a educação brasileira nos próximos dez anos.

No mesmo evento, que conta com a presença do ministro da Educação, Henrique Paim, será anunciado a segunda etapa do Programa Ciência Sem Fronteiras (CsF). O CsF financia estudantes da graduação e pós-graduação em intercâmbios internacionais.

A presidente deve sancionar o PNE c0mo ele chegou do Congresso Nacional, sem vetar artigos. O ponto mais polêmico, sobre o qual ainda há pressão para mudança, é a inclusão dos recursos de programas de transferências (como ProUni, Fies e o próprio Ciência Sem Fronteiras) no cálculo da meta do gastos de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) com educação.  Entidades da sociedade civil e alguns parlamentares lutam pelos 10% apenas para a educação pública – uma vez que o cálculo desse porcentual é embasado nas necessidades para cumprir as metas das escolas públicas. O texto inclui os programas no cálculo dos 10%.

CsF. A nova etapa do Ciência Sem Fronteiras, promete mais 100 mil bolsas a partir de 2015A meta continua sendo mandar 101 mil estudantes até o fim deste ano – o governo se comprometeu a bancar as 27 mil bolsas que ainda faltam. No plano inicial, essa parte dos benefícios seria bancada por empresas, mas o governo não conseguiu atrair as empresas. 

TEXTO CORRIGIDO ÀS 13H40 DO DIA 26/6

Mais conteúdo sobre:

Ciência sem FronteirasDilmaPNE