The book should not be on the table, but in your hands

The book should not be on the table, but in your hands

Oficina do Estudante

26 Fevereiro 2016 | 18h35

Faaaaaaaaaala pessoal, tudo bem? Olha, todo mundo sabe o quanto é importante a gente saber ler, ouvir e escrever bem a língua inglesa. E não to falando daquele inglês capenga que você aprende jogando videogame não. Ta bom vai, to sendo muito cruel. Ele também é importante, mas você não pode se esquecer das regras gramaticais, das interpretações, das conjugações verbais etc etc etc… É trabalhoso, eu sei, mas todo esse aprendizado você só consegue de um jeito: Estudando.

O falar e entender inglês vai muito, mas muito além da sala de aula. É importante para você viajar, arrumar um bom emprego e mesmo abrir seus horizontes para novos livros, filmes, séries, amizades, possibilidades e por aí vai… Por isso, nós pedimos às nossas nossas queridas professoras de inglês, Roseli Ravaglioli Sant’Ana e Andréia Ramacciato Brandão Garcia que elencassem algumas dicas práticas pra vocês não derraparem no idioma do tio Sam na hora das provas. Vamos lá:

est_1

– Assim que o aluno chega à prova de língua inglesa, o que você recomenda que ele faça?

ANDRÉIA – A primeira coisa que ele deve fazer é ler o enunciado. O enunciado é tudo. O brasileiro tem a mania de não ler. Só que não se pode ignorar ou gastar menos tempo nessa primeira parte. Esse cuidado é fundamental para que ele compreenda aquele exercício e consiga desenvolvê-lo da melhor forma possível.

ROSE –  Isso é o que nós chamamos de scanning . São as informações principais de um texto. É essencial para que ele tenha um bom desempenho, principalmente em questões que envolvem interpretação. Às vezes, o aluno sabe a questão mas acaba errando por desatenção, por falta de leitura mesmo. A resposta, na maioria das questões, está no próprio texto.

est_2

– As avaliações ainda exploram pegadinhas do idioma? Se sim, quais são recorrentes?

ROSE – Eu acho que a questão da “pegadinha” é muito parecida com o português. O aluno que não sabe ler ou interpretar um texto vai considerar uma questão que ele não tem domínio como uma “pegadinha”. Tudo vai depender do grau de conhecimento que ele tem sobre aquele assunto. Em inglês, por exemplo, nós temos os falsos cognatos. Se o aluno tem domínio sobre esse tema, sabe quais são as diferenças entre as palavras, isso não se torna um problema para ele.

 

– Em resumo, quais são as principais dicas de estudo para os alunos quando forem fazer provas de língua inglesa?

ROSE / ANDREIA – Leitura e atenção ao enunciado sempre. Leia uma, duas, três vezes e faça o que está sendo pedido na questão. Não adianta querer florear, fazer mais. Porque é aí que o aluno muitas vezes se perde. Nesses casos, ele  quer mostrar que sabe, que tem vocabulário, domínio sobre a escrita e não se atenta ao mais simples que é responder à pergunta proposta. A construção de um bom background  também é fundamental. Estar informado, antenado ao que acontece no mundo é tão importante quanto estudar verbos, gramática e praticar a escrita.