Desafiar para aprender

Desafiar para aprender

Oficina do Estudante

12 Fevereiro 2016 | 17h42

Faaaaaaaala pessoal, tudo certinho por aí? Como passaram o Carnaval? Muita festa? Viajaram? Curtiram muito? Pois é, meus caros, como diz o famoso clichezão popular: É depois do Carnaval que o ano realmente começa no Brasil. Por aqui os motores já estão a todo vapor, com os nossos professores e alunos pensando em projetos, estudos e muito mais.

Hoje o meu papo com vocês é sobre desafios. A vida, a gente sabe, é um desafio. Começa láááá de pequeninos, quando nascemos. Esse, aliás, é o primeiro deles. Romper a barreira que nos separa do conforto da barriga da mãe para enfrentar esse mundão, não é tarefa nada fácil. E sabem como é…A vida é tipo um jogo de videogame em que as fases vão ficando cada vez mais difíceis, os chefões cada vez mais poderosos a medida em que avançamos. E se você é fã dos joguinhos eletrônicos com certeza sabe também que nós, os protagonistas dessa história toda, vamos ganhando acessórios, nos fortalecendo a medida em que o tempo passa.

Pois é, meus caros. Se desafiar faz parte do jogo da vida. E esse “romper barreiras” pode acontecer em todos os âmbitos: físico, emocional, sentimental, psicológico e intelectual.

e_1

Campeões da competição matemática Canguru / Foto: Luis Broleze

Desafiar-se intelectualmente pode ser também uma forma diferente de estudo. Participar de competições em que seus conhecimentos são testados ao limite é um jeito bem bacana de se colocar à prova, ver até onde pode chegar e, mais do que isso, onde pode melhorar. E são diversas as possibilidades de trabalho nesse sentido.

e_3

Vinicius Greggio, premiado na Olimpíada Paulista de Física / Foto: Wesley Bastos

O Colégio Oficina do Estudante se orgulha da sua equipe olímpica nas mais diversas contendas (olha só, aprendeu uma palavra hein?) intelectuais. É um pessoal afiado que não se intimida diante de grandes competições como Olimpíada Brasileira de Física, a edição paulista dela, Olimpíada de Astronomia, de História e por aí vai… Nossos professores preparam aulas especiais para esses alunos interessados em se testar. É uma alternativa à sala de aula, em que eles tem a oportunidade de ampliar seus conhecimentos de uma forma muito mais intensa e diferente.

e_2

Equipe Olímpica de Xadrez / Foto: Luis Broleze

A gente só sabe se é melhor ou pior em alguma coisa quando se desafia, quando se propõe a ir um passo além da nossa zona de conforto. Do contrário, permanecemos eternamente presos na nossa estabilidade, naquilo que nos dá segurança. E aí fica chato. Beeeeem chato. Porque afinal, se dá pra gente deixar a vida um pouquinho mais emocionante, por que não fazer isso hein?

🙂