A escolha da escola e o desafio do primeiro dia de aula

A escolha da escola e o desafio do primeiro dia de aula

Escola Morumbi

20 Janeiro 2016 | 15h28

No final da aula, naturalmente o pai sentirá a necessidade de fazer perguntas. No entanto, é importante aguardar um pouco para ver se a própria criança espontaneamente vai comentar sobre a experiência vivida.

No final da aula, naturalmente o pai sentirá a necessidade de fazer perguntas. No entanto, é importante aguardar um pouco para ver se a própria criança espontaneamente vai comentar sobre a experiência vivida.

Passada a primeira quinzena do ano, muitos pais ainda estão em busca de escola para os filhos. Neste processo, alguns detalhes devem ser observados. É recomendável, por exemplo, visitar diversas instituições para conhecer e analisar qual tem o perfil mais próximo dos hábitos da família. A criança deve participar de todo o processo, mas não é necessário estar em todas as visitas. O ideal é levá-la apenas nas escolas já previamente selecionadas, afinal, mesmo que se deva respeitar as suas opiniões, a decisão final sempre deve ser dos pais.

Para evitar ansiedade, o momento certo de tratar o assunto com as crianças é sempre o mais próximo possível da visita. Isso porque, quanto menor a criança, menos capacidade ela tem de mensurar o tempo. Os pais devem conversar com a criança começando por perguntar como ela gostaria que fosse a escola onde vai estudar. Depois, devem dizer quais expectativas possuem quanto ao filho na escola. É imprescindível que ele saiba da mudança de escola e qual o motivo. Aliás, tem de estar de acordo, senão poderá criar aí uma barreira para aceitação.

Familiares que têm uma convivência diária e participam da rotina da criança também podem tocar no assunto, informando o que a escola tem a oferecer e o que ela vai fazer no dia a dia. Se a convivência é menor, podem falar de forma mais indireta, perguntando, por exemplo, como será a escola em que vai estudar, quem escolheu, se ela gostou, etc.

Definida a escolha, chegado o primeiro dia de aula, os pais devem evitar falar diretamente no assunto, esperando a hora da entrada para dar o seguinte lembrete (ou algo similar): “Filho(a), lembre-se que já conversamos sobre a nova escola. Se precisar de ajuda, fale com a professora. Boa sorte! Confiamos em você e na escola. Vai dar tudo certo, e no final da aula nos encontraremos, daí vamos conversar sobre as novidades que você terá para nos dizer”.

No final do turno, naturalmente o pai sentirá a necessidade de fazer perguntas. No entanto, é importante aguardar um pouco para ver se a própria criança espontaneamente vai comentar sobre a experiência vivida. Portanto, é recomendável que, ao pegá-la na escola, os pais falem de como foi a rotina deles no dia e do que vão fazer saindo dali. Se a criança não mencionar o assunto, falar sobre outras coisas. Dê um tempo, para só depois perguntar o que aconteceu.

Nos casos em que a criança demonstrar desconforto, os pais devem tentar acalmá-la, dizendo que toda nova situação gera dúvidas e inquietações. Depois, é importante procurar saber qual foi o desconforto e orientá-la como pode agir caso a situação ocorra novamente, sempre encorajando-a a enfrentar os desafios.