As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

I – Inovações na entrevista experimental em Wharton

Claudia Gonçalves

22 Novembro 2012 | 18h02

Wharton agora deve entrevistar cerca de 40 a 45% dos candidatos de cada rodada, sendo que o processo de entrevista agora tem duas partes: a primeira é uma discussão em grupo sobre dois temas que a escola envia aos pré-selecionados para entrevista e a segunda parte uma entrevista de 15 minutos com alguém do comitê de admissões ou com aluno de segundo ano.

Nesse novo formato, a entrevista passa a ter um formato de sobrevivência, uma vez que das 4 -6 pessoas de cada grupo de discussão, apenas uma receberá oferta de vaga.

No momento que o candidato foi convidado para entrevista, recebeu duas perguntas e a instrução de se preparar por uma hora para responder às seguintes perguntas:

1) The Wharton School is committed to supporting our stakeholders as they acquire and refine the knowledge and skills they need to be successful professionally. As potential Wharton students, what is one key business skill that you think post-business school professionals must have in order to be successful, long-term, in their career? (Wharton compromete-se em apoiar as partes interessadas conforme adquirem e refinam conhecimentos e habilidades de que precisam para serem bem sucedidos profissionalmente. Como estudantes potencias de Wharton, qual é uma habilidade de negócios que você acha que profissionais pós-MBA devem ter para serem bem sucedidos, no longo prazo, em suas carreiras?)

2) The Wharton School’s mission is to enhance economic and social good around the world by turning knowledge into action and impact. What is the most important societal challenge that could be addressed more effectively by the business community today? ( A missão de Wharton é contribuir para o bem econômico e social no mundo ao transformar o conhecimento em ação e impacto. Qual desafio social mais importante poderias ser mais efetivamente endereçado pela comunidade de negócios hoje?)

 

No dia da entrevista, 4 a 6 candidatos ficam juntos em uma sala e recebem um dos temas para discussão. Os avaliadores apenas observam o desenrolar da discussão de cerca de 45 minutos. A ideia é simular o ambiente de discussão de sala de aula, mas além de não receber qualquer opinião dos avaliadores, o que veio ocorrendo nessa primeira rodada de Wharton é que os candidatos estão excessivamente, senão irritantemente, polidos. Com isso, as discussões acabam não desafiando os participantes e estes também ficam sem qualquer ideia de seu desempenho, diferentemente das entrevistas individuais.

 

Uma das razoes para essa mudança é poder tirar os candidatos do seu roteiro no papel e poder avaliar ao vivo como cada candidato se comporta, argumenta e reage. Outro propósito da entrevista é ver como o candidato pensa e se expressa. Candidatos com inglês pobre podem se dar mal nessa etapa, mas o mesmo aconteceria na entrevista individual. Nessa discussão dinâmica, os avaliadores podem observar como você muda ou molda suas opiniões e como você pode contribuir para o progresso da discussão.

 

Para a segunda rodada de applications, os temas de discussão deverão mudar. O mais importante, segundo o diretor de admissões, é “como você interage com o grupo de colegas para trabalhar em um cenário de negócios real…não estamos buscando uma resposta especifica para os temas propostos – se trata mais de como você se engaja com seu grupo para resolverem um problema juntos – como ocorrerá em sala de aula.”