H – Harvard Business School
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

H – Harvard Business School

Claudia Gonçalves

03 Junho 2013 | 12h47

H- HBS Harvard Business School

Dillon House

Soldiers Field Road

Boston, MA 02163

Admissions: 617-495-6128

Email: admissions@hbs.edu

Website: http://www.hbs.edu/mba

Apply Online: http://www.hbs.edu/mba/admissions/apply.html

Rodada 1: 16 de setembro de 2013

Rodada 2: 6 de janeiro de 2014

Rodada 3: 7 de abril de 2014

 

Mais uma vez, Harvard modifica dramaticamente seu processo de aplicação este ano. Em 2012  a escola surpreendeu ao passar de quatro para dois essays, e inserido um essay pós-entrevista.  Este ano, em 30 de maio, a escola divulgou como será o processo de aplicação este ano.

“You’re applying to Harvard Business School.  We can see your resume, school transcripts, extra-curricular activities, awards, post-MBA career goals, test scores and what your recommenders have to say about you.  What else would you like us to know as we consider your candidacy?”

Numa tradução livre:

Você está aplicando para a Harvard Business School. Podemos ver seu currículo, históricos escolares, atividades extracurriculares, prêmios e reconhecimentos, objetivos pós-MBA, scores nos testes e o que seus recomendadores dizem a seu respeito.  O que mais você quer que saibamos ao considerar sua candidatura?

Não bastasse o essay ser totalmente aberto e sem limites de extensão – o número de palavras fica a critério do candidato tanto quanto o conteúdo – ele é opcional.  Contudo, embora não haja um limite específico para o tamanho do essay, imagino que escrever um ensaio conciso e direto seja prudente. Harvard veio, ao longo dos últimos anos, focando em reduzir o tamanho dos essays. Assim, talvez manter-se abaixo das 800 palavras do ano passado seja bom.

Linda Abraham, do accepted.com, comenta que o essay aberto dá flexibilidade ao candidato em produzir um ensaio que complemente o restante do formulário e demais materiais. O candidato deve mostrar liderança, iniciativa e impacto. O essay aberto e sem limite de tamanho permite que cada um encontre sua forma de expressar essas três dimensões.

O consultor Richmond da Clear Admit também vê riscos de que Harvard acabe recebendo um número de essays reciclados como, por exemplo, “O que é mais importante” de Stanford.

Harvard quer selecionar e atrair alunos que sejam futuros líderes. Sem dúvida, um essay aberto oferece uma situação com pouca ou nenhuma orientação, estressante e agora com menos tempo para tomar a decisão sobre como realizar o essay, uma vez que o prazo da primeira rodada foi antecipado para 16 de setembro.  Harvard agora exige que os candidatos saibam exatamente que tipo de candidato eles procuram e que o candidato lhes mostre o que precisam saber a seu respeito.

Outra mudança importante é que agora em lugar de três, serão duas as cartas de recomendação.  OU seja, assim como com o novo essay, a escolha dos recomendadores também deve ser muito bem pensada. Mas como as demais escolas normalmente solicitam apenas duas cartas de recomendação, acho que o desafio aqui não será grande. Compor as cartas e os essays e analisar o conjunto já faz parte da lista de tarefas para todas as escolas e Harvard não é exceção.

A aplicação com tendência minimalista de Harvard, com redução no número de cartas de recomendação, número de essays e espaço disponível para descrição de cargos e desempenho acadêmico e em atividades extracurriculares forçará que as credenciais sejam mais interessantes e atrativas. O aumento de subjetividade pode atrair um espectro mais amplo de candidatos. Cada candidato deverá pensar mais em como quer se apresentar, quais aspectos ainda precisam ser revelados e como contar da melhor maneira a sua história.

Nesse novo contexto, a entrevista, que já havia gerado ansiedade em muitos candidatos ano passado, agora tem maior relevância. O essay reflexivo pós-entrevista continua. As habilidades interpessoais e de comunicação ganharam maior relevância no processo.

No ano passado, cerca de 1800 candidatos foram convidados para entrevista e foram solicitados e escrever uma reflexão pós-entrevista a ser enviada por e-mail em até 24 horas. A solicitação foi simples e direta: “Você acabou de fazer sua entrevista para HBS. Conte-nos como foi. Nós conseguimos conhecer você?”.

Leopold comentou que a  reflexão, que não tinha limite de palavras foi muito interessante no ano passado e por isso eles decidiram mantê-la. Alguns contaram o que gostariam de ter dito na entrevista e não falaram; outros exploraram sua visita ao campus ou como foi a viagem para entrevista. Foi tanto instrutivo acerca do candidato quanto do processo de aplicação de Harvard para cada candidato.

Deidre Leopold disse que o modelo de entrevista será mantido: será exclusivamente por convite e com membros do comitê de admissões e dura 30 minutos. Além das entrevistas no campus, a escolar oferecerá entrevistas por skype e em localidades para as quais o time de admissões se deslocará.

Candidatos da primeira rodada em 16 de setembro podem esperar a resposta até 11 de dezembro; para a segunda rodada, em 26 de março e para a última de 7 de abril em 14 de maio de 2014.  A diretora de admissões de Harvard, Deidre Leopold, comentou que as mudanças na aplicação do ano passado não afetaram nem a quantidade nem o fluxo típico de candidatos em cada rodada, permanecendo a proporção de 30% – 50% – 20% respectivamente para a primeira, segunda e terceira rodadas.

No período de 2012-2013 Harvard Business School teve 9315 candidatos, um aumento de 3,9% do ano anterior. O primeiro webminar de perguntas e respostas sobre admissões ocorrerá em 12 de junho, às 12h EST.

Harvard sem dúvida é a escola de MBA mais conhecida e aquela que estabelece as tendências em sua indústria. Em pouco amis de um ano à frente da escola, o novo reitor Nohria criou uma nova agenda para a escola, com os cinco I’s:  inovação, (ambição) intelectual, internacionalização, inclusão e integração.

Harvard é grandiosa em tudo: formada por 33 prédios independentes em 40 acres às margens do Rio Charles. Famosa por seu método de casos, que visa preparar seus alunos para os desafios de liderança que o mundo real impõe. Ainda que os estudos de casos sejam predominantes, Harvard adicionou novos ingredientes à sua receita para formar líderes para o mundo real.

Agora os alunos do MBA se revezam na liderança de um grupo engajado em produtos específicos. Também são enviados a trabalhar por uma semana em uma de 140 empresas em 11 países, indo de fabricante de sabão aqui no Brasil a uma empresa do setor imobiliário na China. Além disso, em oito semanas, com uma verba de US$ 3.000 cada, devem lançar uma pequena empresa. A empresa mais bem sucedida, conforme os votos de seus colegas de classe, receberá mais recursos.

Harvard propõe-se a ser um ambiente de aprendizado envolvente e proativo, onde os alunos desenvolvem seu conhecimento, habilidades e confiança para enfrentar uma gama de decisões difíceis que encontrarão em suas carreiras.

Os dois primeiros trimestres compõem o currículo obrigatório, a serem realizados em seções de 90 alunos cada. Cada seção permanece inalterada ao longo do primeiro ano e se torna tanto um círculo social como intelectual. No segundo ano os alunos escolhem até 5 cursos por semestre para compor suas eletivas.  O novo currículo adicionou cursos mais breves no catálogo de eletivas.

 

Custo do curso para dois anos: $122,240

Orçamento recomendado pela escola: $174,400

GMAT médio: 730

Faixa de GMAT: 570-790

Média: 3.67 de 4.0

Taxa de aceitação: 13%

Alunos em dois anos: 1802

Alunos internacionais: 34%

Mulheres: 40%

Média de idade: 27

Média de salário-base em 2012: $120,000

Média de Signing Bonus em 2012: $20,000

Média de outros bônus garantidos em 2012: $35,000

Porcentagem de MBAs com ofertas de trabalho na graduação: 90%

Porcentagem de MBAs com ofertas três meses após graduação: 95%

Compensação Total estimada em uma carreira de 20 anos*: $ 3.867.903 (a mais alta de apenas sete escolas cujos ganhos excedem $3 milhões)

Onde a classe de Harvard de 2012 foi trabalhar:

Serviços Financeiros — 35%

Consultoria — 25%

Tecnologia — 12%

Bens de consumo — 3%

Saúde — 7%

Manufatura — 7%

Varejo — 4%

Sem fins lucrativos — 3%

Energia — 2%

Media/Entretenimento — 3%

Média de salaries de entrada por indústria/ classe de 2012:

$150,000 — hedge funds

$150,000 — private equity/leveraged buyouts

$135,000 — consultoria

$122,500 — energia

%120,000 — gestão de investimentos

$120,000 — saúde

$120,000 — manufatura

$117,500 — venture capital

$117,000 —software

$110,000 — entretenimento/media

$100,000 — banco de investimento

$99,500 — bens de consumo

$90,000 — sem fins lucrativos

$90,000 — governo