Dicas para mandar bem no GMAT
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dicas para mandar bem no GMAT

Paula Braga

01 Abril 2018 | 00h48

 

Recentemente, compadecida pelo sofrimento de meus clientes em relação aos estudos de GMAT, resolvi dar uma pesquisada sobre como tornar os estudos mais eficientes.  Após ler alguns artigos, me inscrevi no curso “Aprendendo a Aprender” do Coursera.

Ainda que não obtive nenhuma informação inovadora no curso, foi bom relembrar uma serie de conceitos e dicas que ajudam no aprendizado.  E, como eu sou muito boazinha, neste post, vou dividir com vocês os pontos que considerei mais interessantes.

Dicas para aprender melhor:

  • É mais eficiente fazer períodos menores de estudo com uma maior frequência do que estudar looooongamente uma vez só.

O que significa isso? Que aquela estratégia de se afundar nos estudos no fim de semana e zero horas de segunda a sexta não é a melhor.  Sei que para muitos candidatos a MBA, essa é a única maneira que conseguiram se organizar.  Entendo.  Tenho compaixão.  Mas de acordo com os estudos, não funciona tão bem.  Em vez de estudar 14h entre sábado e domingo, tente estudar 3h dia sim, dia não.

  • Todo mundo procrastina.

Quando o cérebro percebe algo que lhe desagrada (como dedicar as próximas horas ao entendimento de conceitos de estatística), ele aciona um mecanismo de defesa que é focar em outra coisa, para se distrair.  E, voilá, bem-vinda procrastinação!  Ou seja, a culpa não é sua, é do seu cérebro ,)

Porém, a boa notícia é que diversos estudos mostram que o sofrimento associado a pensar a respeito da tarefa evitada é pior do que o sofrimento associado a executar a tarefa em si.  Ou seja: quer acabar com o sofrimento? Engula o choro e comece a tarefa.  Logo sua tensão tende a diminuir.

  • Use o método Pomodoro.

Dos diversos métodos possíveis para tornar seu estudo mais eficiente, um dos mais reconhecidos é o Pomodoro.  Ele consiste em focar intensamente em uma atividade (no estudo, por exemplo) por 25 minutos, e depois premiar-se com 5 minutos com alguma atividade relaxante/agradável.  O fato de você limitar seu esforço por 25 minutos (e não mais que isso) e saber que ao final dele você vai poder tomar um café/conversar com um amigo/mexer no celular, ajuda a tornar o período focado mais suportável.  Ah, se você ficou curioso o por quê do nome Pomodoro, é porque o cronômetro de seu inventor era em forma de tomate 🙂

  • Saiba que os períodos de descanso entre os estudos – inclusive uma noite bem dormida – são fundamentais para absorção das informações.

Isso significa que burlar os períodos de descanso do Pomodoro ou virar noites estudando não só não te ajuda, mas atrapalha profundamente seus objetivos de aprendizados.  Outra coisa que ajuda absorção das informações: exercícios físicos.

 

Como eu tinha falado, não há nada profundamente novo nas informações dadas acima.  Porém, como acabamos de relembrar que o aprendizado é mais eficiente quando a mensagem é repetida ao longo do tempo (ponto 1), não custa relembrar de tudo isso né?

 

Bons estudos para todos!