As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Começando….

Claudia Gonçalves

28 Maio 2012 | 15h28

Sou coach de carreira e MBA há dezoito anos e nesse ínterim tive a oportunidade de acompanhar a jornada tanto pré- como pós-MBA de mais de 700 pessoas. Quando eu comecei a minha carreira nesse nicho, em 1994, eram cerca de 300 brasileiros por ano indo para MBAs das escolas top 15 nos EUA e Europa. Embora hoje se tenha a impressão de que o número tenha aumentado muito, em um recente encontro promovido pelo IE (escola de negócios em Madri) e a GNext (consultoria de hunting) em que estiveram presentes vários membros dessa industria, constatamos que o numero de brasileiros indo para um MBA top 15 nos EUA ou Europa ainda não passa de 450. Fazendo algumas estimativas considerando o tamanho do Brasil MBA alumni (ex-alunos) e dados da experiência de diversos consultores que trabalham com preparação para MBA, estimamos que haja cerca em torno de 3500 MBAs brasileiros, formados nos últimos 20 anos, sendo que a maioria destes encontra-se no eixo Rio – São Paulo.  Sem dúvida, ainda há muito espaço para crescimento de profissionais com MBA aqui no Brasil. Mas até se chegar lá, há uma longa jornada. É quase um triátlon. Primeiro há as provas – GMAT e TOEFL, depois vem escrever essays (diversas redações cobrindo temas como objetivos para carreira, experiências de liderança, e realizações) , cv, preencher formulários, e finalmente as entrevistas.

Mas isso tudo depois de pensar muito se o MBA é para você, quais escolas escolher, que sentido isso fará para a sua carreira… Enfim, é uma jornada que começa quase um ano antes do curso e se estende para curto e médio prazo após o MBA.

A ideia aqui é passar por todos esses tópicos e abordar o que há de novidades nos MBAs.

Para quem é o MBA?  Essa é uma pergunta bastante frequente. Aqueles que trabalham em consultorias e bancos já têm o MBA como um requisito na carreira e de fato, cerca de75% dos candidatos brasileiros em escolas americanas e 65% nas escolas europeias trabalham em consultorias ou em bancos, o restante dos candidatos vêm da indústria, outros serviços, empresas familiares e empreendedores. Para muitos, o MBA é um passo importante para a consolidação de uma carreira executiva, para outros uma oportunidade de mudar a carreira. Há alguns anos o MBA servia para “zerar” o currículo e servir como recomeço, mas hoje o MBA não tem mais este efeito. Os recrutadores analisam seu histórico, sua experiência antes do MBA, o que você fez durante o curso e suas expectativas profissionais. Por isso, atualmente é muito importante ter uma ideia mais clara do que quer fazer após o MBA, para assim poder aproveitar melhor sua experiência na escola e direcionar eletivas e atividades extracurriculares para direcionar melhor sua carreira no curto e médio prazo. Ter clareza de seus objetivos futuros também será importante como um dos critérios de escolha de escolas a aplicar.

A primeira vista as escolas podem parecer oferecer coisas muito semelhantes, mas existem sim diferenças entre elas. Talvez estas diferenças não fiquem tão claras quando se olha a grade de matérias, mas as eletivas, atividades extracurriculares, clubes de interesses, metodologia da escola (mix de aulas, seminários, trabalhos em grupos, apresentações), nível de competitividade, localização. Há um numero grande de variáveis a se levar em conta.  Por isso é tão importante saber o que você quer do MBA, para que você tenha seus próprios critérios de seleção e possa ir além da classificação das escolas em um ranking.