As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

B – Banco de reservas

Claudia Gonçalves

08 Janeiro 2013 | 11h57

Estar na lista de espera de algum MBA para o qual aplicou é como fazer parte do banco de reservas de um time. Você não está escalado no jogo, mas tem que estar preparado e aquecido para entrar a qualquer momento. Entrar em campo ou não pouco depende de sua vontade, mas mesmo assim você tem que demonstrar que quer e que está preparado para tal.

Caso seja esta a sua situação ao final da primeira rodada de applications, avalie como pode se destacar dentre os outros reservas sentados com você no banco!  Primeiro passo é entender as regras que regem a lista de espera da escola em questão.  Podemos dizer que há, grosso modo, três grupos: escolas que estimulam o contato dos candidatos em lista de espera; escolas que dão espaço limitado para atualizações e contato de candidatos em lista de espera; e o terceiro grupo, escolas que sumamente não querem que os candidatos mandem qualquer tipo de comunicação enquanto estão sendo considerados na lista de espera.

Começando com o último grupo, se a escola não quer contato enquanto estiver em lista e espera, obedeça às regras. Infringir regras neste caso pode lhe causar mais prejuízos que ajudar. Se este for o caso e a escola for sua primeira escolha, procure visitar a escola e em paralelo ver qual pode ter sido o ponto fraco. Se você imagina que foi o GMAT, refaça. TOEFL, idem.

No segundo caso, em que a escola limita seu contato durante o período de lista de espera, procure priorizar o que vai comunicar. Novamente, siga as regras estabelecidas pela escola. Evite contar sua estória novamente ou mesmo repetir o que já escreveu em seus essays. Traga informação nova relevante. Melhorou a nota nos testes de admissão? Foi promovido? Algum projeto importante? Na vida pessoal iniciou alguma nova atividade?

No caso de escolas que incentivam que os candidatos em lista de espera sejam mais ativos, procure seguir as mesmas regras do grupo anterior. Entre em contato assim que receber a notícia de que ficou na lista de espera e reitere seu desejo de ir para aquela escola. Mostre seus progressos – profissionais ou pessoais – mostre o que tem feito para se envolver mais com a escola em questão – com quem falou, se visitou a escola.

Em sua comunicação você deve tem em vista as seguintes principais motivações: mostrar que tem trabalhado para endereçar seus pontos fracos – mostre ações que fez para resolver problemas ou melhorar habilidades. Por exemplo, um advogado que está aplicando e está em lista de espera se matricula em um curso de 2 semanas de finanças numa boa escola de negócios. Isso mostra para a escola os esforços do candidato em estar apto a cursar o MBA.  Segundo, mostre que entre o momento de submeter sua aplicação e agora, você fez progressos – foi promovido, participou de um projeto interessante; enfim, mostre o que aconteceu e descreva a relevância e impacto. Finalmente, você deve mostrar que se encaixa na escola em termos de seus objetivos, valores, estilo de aprendizagem e atividades extracurriculares em que se engajou.

Em raríssimos casos, as escolas têm um gerente que poderá lhe dar um feedback sobre sua candidatura durante a lista de espera. Aproveite a ocasião para entender o que tem a melhorar.

Muito embora seja uma opção menos efetiva que você mesmo escrever, uma carta de suporte de alguém que o conheça bem pode ajudar. Algum ex-aluno ou aluno atual naquela escola, desde que a pessoa realmente tenha coisas relevantes para contribuir.  Mesmo nas escolas que são abertas a atualizações durante a lista de espera, procure ser suscinto, mande atualizações com intervalos de um mês, caso tenha algo de novo para acrescentar. No caso de estar em lista de espera, o ditado melhor sobrar que faltar pode ser um tiro no pé!