O primeiro simulado que te ajuda a entender o cálculo da nota do ENEM

O primeiro simulado que te ajuda a entender o cálculo da nota do ENEM

Eu e minha equipe, junto da startup Evolucional, elaboramos um simulado muito especial para você que precisa se preparar para o ENEM e quer entender melhor a nota dada pela Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Mateus Prado

22 Julho 2014 | 02h39

Como já tenho dito, a nota de dois alunos que acertam a mesma quantidade de questões sempre é diferente, pois ela tem a ver com a consistência das respostas dadas pelo aluno. Essa é a noção de “constructo”: cada aluno, ao responder a prova, constrói um caminho diferente, e há caminhos mais coerentes que outros.

Explico: por exemplo, se um aluno acerta as questões mais difíceis, e erra as fáceis, a chance de ele ter acertado as questões difíceis ao acaso (o famoso “chute”) é maior, já que normalmente o aluno tende a acertar todas as questões do seu nível de proficiência e abaixo dele. O caminho das questões acertadas por esse aluno não foi coerente e por isso a sua nota será menor.

Além da possibilidade de esse aluno ter acertado as questões mais difíceis ao acaso, existe outra forma de esse “caminho inconsistente” acontecer: imagine se um aluno de alta proficiência gasta um tempão respondendo a prova de Linguagens e de Redação, que acontecem no mesmo dia da prova de Matemática. Aí, faltando meia hora para o horário final, ele começa a resolver a prova faltante. Resolve na sequência das questões, sendo elas fáceis ou difíceis, mas não consegue resolver a metade final da prova, onde estavam muitas das questões fáceis e de média dificuldade. O sistema não verá consistência no caminho desse aluno, pois ele acertou questões difíceis e errou questões fáceis. Resultado: sua nota será baixa.

Pois bem, para demonstrar o funcionamento da Teoria da Resposta ao Item (TRI) e mostrar que ela só existe para te ajudar, elaboramos um simulado com base na prova do ENEM de 2012, mas com as questões reordenadas de acordo com o nível de dificuldade. Esse trabalho já vinha sendo desenvolvido pela minha equipe pedagógica e agora, a partir de nossa parceria com a Evolucional, que nos ajudou com a tabulação dos dados oficiais divulgados pelo Inep, pudemos finalizá-lo e publicá-lo.


Montamos a seguinte estrutura: a partir dos dados de quais questões cada um dos milhões de alunos acertou na prova e das notas obtidas, reorganizamos as questões pela ordem de dificuldade. A primeira questão, em nosso simulado, será a mais fácil: aquela que mais alunos acertaram. A segunda será aquela que, tirando a primeira, mais alunos acertaram. E assim por diante, até a última, a mais difícil: aquela que menos alunos acertaram.

A partir dessa redistribuição, feita primeiramente com as 45 questões da prova de matemática, pudemos realizar algumas simulações. Veja que radical a diferença entre as notas de dois alunos que acertaram diferentes 20 questões:

Um aluno que acertou as 20 primeiras questões dessa prova reorganizada (as 20 mais fáceis) obteve a nota 615,8, enquanto um aluno que acertou somente as 20 últimas (as 20 mais difíceis) obteve a nota 301,5. Ou seja, entre esses dois caminhos possíveis, a TRI entende que o do primeiro aluno é coerente e o seu nível de proficiência pôde ser realmente medido na prova. Já o aluno que acertou somente as mais difíceis ficará com uma nota menor, pois seu caminho não foi sólido (é aquilo que já falamos: ele pode ter acertado aquelas questões ao acaso).

Aproveito para lembrar que a menor nota do Brasil no ano dessa prova, em Matemática, foi 227,2 (é o “zero” da TRI – dado, na escala do desvio padrão, ao aluno com menor quantidade de acertos). Isso significa que, mesmo com 20 acertos, se esses acertos constituírem um caminho totalmente incoerente, a nota ficará próxima do “zero” da TRI.

No infográfico abaixo, você pode observar as simulações realizadas com quatro alunos fictícios. Os dados do Inep indicam esses padrões como verdadeiros, mas o nome do aluno é preservado, por isso demos outros nomes para nossos quatro exemplos: Luiza, Thiago, Rafael e Raquel. Os três primeiros mostram os extremos da escala (acertar só as mais fáceis ou acertar somente as mais difíceis), mas a última aluna, Raquel, indica o comportamento mais comum entre os participantes.

Fica muito claro que a nota do ENEM é uma correlação entre a quantidade de acertos e a coerência do “caminho” de acertos. Por isso quem acerta somente as mais difíceis fica com nota tão baixa: esse não é um comportamento coerente, ele não acontece com pessoas que estão realmente preparadas. Ele só acontece com acertos ao acaso e/ou com o aluno que não resolveu toda a prova (que chutou parte das questões). Por isso, é importante que você, antes de tentar resolver as questões que julgar mais difíceis, garanta ter resolvido as questões mais fáceis: elas vão te conferir mais pontos do que as outras.

E como isso vai te ajudar a estudar? Muito fácil. Imagine que você realize o nosso simulado e acerte a maioria das 30 primeiras questões (as trinta de menor dificuldade) e a partir da questão 31 você comece a errar a maioria delas. Se sua intenção é melhorar a nota no ENEM, e se você teve esse padrão de acertos, o melhor no seu caso será estudar a partir da questão 31, com calma, até chegar às questões mais difíceis. Dependendo da nota de corte de seu curso, você pode até optar por não estudar aqueles conteúdos mais difíceis (aqueles que as pessoas mais erram e que estão no finalzinho da prova).

E mais, você ainda poderá comparar seu desempenho com o de um aluno que acertou, em 2012, exatamente as mesmas questões que você. Isso acontecerá através de um formulário on-line em que será possível marcar a alternativa assinalada em cada questão. Nós conseguiremos indicar a nota exata que você teria, conforme a TRI, se tivesse feito a prova em 2012. Ao preencher o formulário, cujo link você encontra aqui abaixo, você receberá seu resultado em até 7 dias. Quem participou do Exame em 2012 e continua estudando, também será possível descobrir se houve melhoria de desempenho conforme o padrão de correção, competências e conteúdos propostos pelo ENEM.

Clique no link a seguir para baixar o simulado de Matemática: 

www.mateusprado.org.br/prova-enem-2012-mat-reordenada-dificuldade.zip

Acesse o site a seguir para preencher as respostas no formulário:

http://cursinhohenfil.evolucional.com.br/

Nessa semana, publiquei o simulado de Matemática. A cada semana, disponibilizarei uma das 4 provas, assim todos poderão resolvê-las com tranquilidade.

Bom simulado e bom estudo pra você!