A biologia no ENEM: como impulsionar o seu rendimento

Mateus Prado

06 Novembro 2014 | 18h55

Por Prof. Vanylton Matias

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) se aproxima e nessa fase final de preparação é aconselhável que os alunos desenvolvam uma estratégia eficaz para resolução da prova. As questões de biologia, normalmente bem elaboradas e contextualizadas, costumam utilizar o recurso da interligação temática, abordando de forma multidisciplinar as diversas habilidades e competências das ciências naturais. O aluno conhecedor dos principais temas biológicos pode utilizá-los não apenas para responder as questões dessa disciplina, mas também para desenvolver uma boa estratégia de resolução da prova, que costuma ser longa e cansativa.

Mas qual seria essa estratégia? Abaixo, seguem duas valiosas dicas:

1 – Lembre-se de Respirar!

Isso mesmo! No início do exame, os alunos concentrados e ansiosos, realizam respirações curtas, ofegantes, não captando moléculas de oxigênio suficientes para uma boa produção energética. Vale a regra: Menos oxigênio inspirado, menos respiração celular aeróbia, menos ATP (principal moeda energética do corpo humano). Mesmo inicialmente imperceptível, após alguns minutos o aluno se sentirá cansado, perderá a sua concentração e terá bastante dificuldade de concluir a prova com êxito.  A grande dica é: Não resolva uma prova de 90 questões, mas sim 9 provas de 10. Uma vez dividida em blocos, ao fim de cada um desses, o aluno deve dar uma parada na resolução, respirar e relaxar, concentrado ATPs para um novo bloco de dez questões. O efeito é impressionante!

2 – Obedeça as normas da teoria de resposta ao item (TRI)!

A TRI também pode ser chamada de teoria da coerência, uma vez que atribui boas notas a alunos que acertam os quesitos em uma sequência lógica. Por exemplo, alunos que acertam as questões mais difíceis e erram as mais fáceis não estão sendo coerentes, logo não receberam boas notas. A grande dica é: Não perca tempo com questões difíceis e/ou complexas, mas garanta as fáceis e as médias, que assim sua nota será impulsionada. Na Área das ciências naturais, normalmente, as questões mais fáceis são as de biologia.

As questões de biologia do ENEM são, normalmente, relacionadas a temas atuais, sendo elaboradas com base em um contexto de aplicação prática. São, portanto, temas de maior relevância para o ENEM deste ano:

A Água. Tanto a visão ecológica, quanto a bioquímica e fisiológica devem estar na ponta do lápis, para a prova de sábado. Esse tema tornou-se ainda mais atual devido a diminuição dos níveis de água no sistema Cantareira, em São Paulo, gerando uma problemática ecológica importante.

Os vírus e a saúde pública. A epidemia da febre hemorrágica Ebola pode ser um atrativo para que na prova esse tema possa estar presente. O aluno deve conhecer os aspectos históricos, microbiológicos, sintomatológicos e de transmissão. Outras viroses como a dengue, febre amarela e febre chikungunya também devem ser pautados como de maior relevância.

–  Fisiologia do sistema nervoso. No ano de 2014 foi feita uma importante campanha social cujo tema foi a esclerose lateral amiotrófica. Uma doença degenerativa, progressiva e fatal.

Fisiologia do sistema sensorial. O aluno tem que estar “ligado” nesse importante tema. Deve, no caso do sistema auditivo, conhecer as estruturas relacionadas com a audição, como a cóclea, e com o equilíbrio, como os canais semicirculares.

Ecologia.  As relações ecológicas, a poluição ambiental a sucessão ecológica também são temas que têm “a cara do ENEM” e que devem, portanto, ser bem revisados.

Genética. É importante que o aluno perceba que a genética quando é cobrada no ENEM não envolve cálculo complexos, tampouco temas variados. As questões normalmente abordam a citogenética e a primeira lei de Mendel.

Vale lembrar:

“O aluno estrategista, mesmo mediano, passa no vestibular. Aquele sem estratégia, mesmo gênio, volta para o cursinho” – Vanylton Matias.