O bom uso do celular

O bom uso do celular

Os tempos mudaram, a tecnologia avançou e a Escola não pode ficar para trás

COLÉGIO MAGNO/MÁGICO DE OZ

18 Agosto 2017 | 17h17

Era comum, até alguns anos atrás, o celular ser visto como um obstáculo à aprendizagem do aluno. O dispositivo era considerado somente uma distração à aula, em que copiar a matéria era mais importante. No entanto, o avanço e a praticidade desta tecnologia atraiu várias áreas distintas. Com a educação não foi diferente. E o Colégio Magno/Mágico de Oz está bem atento a isso.

Acompanhando as inovações, o Colégio implantou uma estrutura digital e em nuvem para alunos e professores, em parceria com o Google. A plataforma é o método principal em que os estudantes e docentes podem compartilhar entre si documentos, apresentações, anotações, trabalhos, fotos e vídeos relacionados às atividades. Como estes arquivos ficam armazenados na web, eles podem ser acessados em computadores, tablets e, principalmente, celulares. Esse sistema auxilia o aluno a estar constantemente ligado à aula em qualquer lugar e que ele possa entrar em contato com o conteúdo com um toque na tela do dispositivo.

Para os professores, essa rápida mudança na maneira de ensinar pode assustar. E sabemos que nossos estudantes são as pessoas mais atualizadas nas novidades tecnológicas. Incentivamos a troca de conhecimento não só do professor para o aluno, mas o caminho contrário também. Dessa forma, já realizamos oficinas em que os estudantes ensinaram os seus mestres a como usar essa plataforma e como o celular pode ajudar não só nessa questão de compartilhamento instantâneo, como também na aplicação de conteúdo a tecnologias como a realidade virtual.

Alunos ensinaram professores do Colégio a usarem tecnologias que envolvem celulares, como a realidade virtual

No entanto, o Magno acredita que a relação entre educação e os celulares não para somente nas matérias da Escola. Fazemos questão de ensinar aos jovens a importância de se usar essa tecnologia de uma maneira construtiva. Assim como em qualquer outro meio de comunicação, há de se ter responsabilidade e uma postura ética. É um valor que passamos aos estudantes durante toda sua formação. Instruímos  os alunos a perceber que as diferentes situações requerem diferentes usos do celular e que algumas atitudes dentro desse meio digital são inaceitáveis. Seguimos, então, a filosofia da Escola de formar cidadãos em todos os aspectos.

Em um tempo em que os alunos acham mais prático tirar foto da lousa a copiar no caderno, em que os pais deixaram de receber circulares em papel para recebê-las em aplicativos e em que professores podem utilizar recursos tecnológicos inovadores em aula, é dever da Escola não proibir, mas incentivar o uso do celular. Mas que seja um bom uso.