Mostra UNESCO 2017

Mostra UNESCO 2017

Magno produz trabalhos, ações e atividades visando a busca por um mundo melhor

COLÉGIO MAGNO/MÁGICO DE OZ

27 Outubro 2017 | 09h16

Sustentabilidade, empatia e tolerância. Essas foram as palavras que deram o tom da Mostra UNESCO 2017. Usando como inspiração o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, todo o Colégio se mobilizou para realizar projetos que discutissem a preservação do meio ambiente e a identificação com diferentes povos e culturas. Os resultados foram apresentados em um dia de muito conhecimento!

Preocupação com a natureza

Ter consciência ambiental tornou-se indispensável no mundo atual. Os trabalhos apresentados pelos alunos mostram que eles já deram o primeiro passo. A sustentabilidade foi abordada por diversos ângulos.

Logo na entrada, os visitantes puderam conhecer um jeito inusitado de reaproveitar a água. As turmas do 9º ano produziram um forno solar com uma parabólica gigantesca. O objetivo era purificar a água do Córrego Congonhas, a qual monitoram todos os meses, e utilizá-la para regar plantas em um sistema de hidroponia completamente idealizado pelos estudantes.

A água também foi tema do trabalho O mar não está para peixe, do 3º ano. Os alunos discutiram a poluição fluvial, mostrando seus impactos na sociedade. Enquanto isso, o 5º ano realizou manifestações pelo Colégio, conscientizando todos sobre a importância dos mares, além de apresentar produções criativas, como um vaso autossustentável e um método de plantio de sementes usando drones.

Utilizamos água para tudo. Até para nos divertir! E remar nos botes da piscina do Colégio foi muito divertido para quem visitou a instalação Raftingbilidade. Enquanto esperavam sua vez na fila, as pessoas souberam mais sobre as ações sustentáveis do Magno em viagem à Paraty.

Todos os Estudos do Meio deste ano também tiveram destaque. As atividades de campo realizadas pela Escola traduzem bem a proposta de Turismo Sustentável da UNESCO. Por isso, os pais puderam explorar, por meio de fotos e vídeos, um pouco do que seus filhos vivenciaram. Representantes da Quíron, que auxilia o Colégio nas viagens, trouxeram animais exóticos, como cobras, jacarés e iguanas. Todos conheceram as características desses bichos e se encantaram!

Mas não é necessário viajar para muito longe para fazer parte de um Turismo Sustentável. Basta ir à praça mais próxima! O 4º ano visitou a Praça Júlio Atlas e pensou em uma série de intervenções para deixar o local mais amigável à natureza. Os resultados foram apresentados no estande do projeto Se essa praça fosse minha, com direito à maquete de uma praça ideal criada pelas turmas.

A reciclagem teve espaço com trabalhos que envolveram arte, realizados pelo 8º ano. Até as crianças do Mágico de Oz reutilizaram e montaram uma casa somente com caixas de leite. Além disso, os alunos ajudaram nas vendas de uma barraca de produtos orgânicos. Os visitantes puderam levar para casa legumes e vegetais frescos.

Conhecendo culturas

A Mostra UNESCO 2017 ainda foi palco de uma série de atividades que discutiram a interculturalidade e a situação dos refugiados. Palestras, workshops e oficinas apresentaram ao público as tradições e crenças de outros países.

O evento recebeu convidados muito especiais. Dentre eles, esteve o advogado especialista em direitos humanos Edgard Raoul Gomes Neto, que passou mais de 20 dias com refugiados, percorrendo com eles o caminho entre a Grécia e a Alemanha, no ano passado. A apresentação mostrou parte de sua experiência e aquilo que aprendeu sobre a crise humanitária. Para o Magno, a presença de Edgard foi ainda mais especial, pois foi nosso aluno e é filho da nossa coordenadora Raquel.

O dia teve muita participação dos visitantes. Todos aprenderam a produzir suas próprias bonecas africanas Abayomi com Renee e Lambert, casal que imigrou da África para o Brasil. Aqueles que queriam ajudar, passaram no estande Flores para os refugiados e compraram flores cuja renda é toda revertida para a causa dos imigrantes. O Ginásio ficou cheio de ritmo com o workshop de dança congolesa ministrado por Calvin Denangowe, bailarino nascido na República Democrática do Congo.

A música não parou com a apresentação da canção “Light a candle for peace”, escrita por crianças e professores do mundo todo, nas vozes dos alunos do 2º ano. Eles mostraram todas as brincadeiras que conheceram e ensinaram às crianças de uma escola na Tanzânia durante o semestre. As famílias também acompanharam uma apresentação da Orquestra do Magno e da Banda Mazeej, formada por músicos muçulmanos, judeus e cristãos, de origem libanesa, síria e brasileira. É a música como elemento de união entre as pessoas.

Não só os refugiados foram lembrados. O pessoal do Ensino Médio e do Voluntariado do Colégio recolheu doações de alimentos não perecíveis, roupas e cadernos para a ONG Recica, que cuida de crianças e adolescentes vulneráveis, e para a Aldeia Guarani Guyrapa-ju.

Planeta Magno 50 Anos

Muitas outras atividades aconteceram na Mostra UNESCO. Teve roda de conversa com autores literários, apresentações do High School e dos alunos que participaram do projeto Parlamento Jovem, oficinas maker e de tecnologia Google, desfile de roupas típicas e muitas produções artísticas.

O evento inteiro teve um clima de união por um mundo mais igualitário e ecológico. E este é justamente o lema do Planeta Magno 50 Anos. Lançado durante a Mostra, o novo projeto do Colégio Magno para 2018 promoverá iniciativas que estimulem o desenvolvimento de uma cultura sustentável em toda a comunidade escolar.

A música escolhida para a abertura do Planeta Magno foi “Imagine”, de John Lennon, considerada especial porque mostra que todos nós temos sonhos. A Mostra UNESCO deste ano foi mais que uma apresentação de trabalhos escolares: foi uma demonstração dos sonhos de nossos alunos por uma sociedade melhor.