Mobile Learning – Cooperar e Compartilhar

Mobile Learning – Cooperar e Compartilhar

Escola Lourenço Castanho

03 Fevereiro 2016 | 10h00

06

Com a evolução da tecnologia e a sua apropriação pelas escolas, estão sendo colocados novos desafios às metodologias de ensino. É de fundamental importância acompanharmos as inovações, que já vêm ocorrendo desde os anos 1980 até os dias de hoje, traduzindo-as e adaptando-as ao cotidiano escolar.
Hoje, a Internet (Web 2.0) está baseada na construção coletiva do conhecimento. Sem fronteiras físicas, o usuário produz conteúdo, armazena-o virtualmente, compartilha, colabora, interage, soma, modifica realidades e saberes.
Na escola, a Internet é uma aliada da tecnologia da educação e passa a ter um papel central, propondo uma experiência de uso semelhante à de aplicativos para desktop, como é o caso do Google Docs, que disponibiliza (on-line) ferramentas com as mesmas características e a maioria das funções dos Aplicativos da Microsoft (Word, Power Point e Excel) que rodavam off-line e eram pagos.
Os dispositivos tornaram-se mais leves e menores (tablets e smartphones), permitindo, assim, maior mobilidade e podendo ser utilizados em sala de aula, fora da escola, em qualquer lugar e horário e no ritmo de cada estudante, desde que se tenha acesso à Internet ou hotspot Wifi.
Arquivos compartilhados entre alunos e professores e trabalhos realizados colaborativamente mudam a dimensão do espaço e do tempo da sala de aula.
Diante do quadro de transformações apresentado acima, o curso “Mobile Learning – Cooperar e Compartilhar” foi elaborado para auxiliar o professor a explorar diversas ferramentas colaborativas, utilizar dispositivos móveis (tablets, smartphones e notebooks) e desktops (computadores de mesa) e refletir sobre as possibilidades de aplicação dessas tecnologias em sala de aula.
As ferramentas colaborativas exploradas no curso foram:

  1. Colaboração com Google Docs
    • Instruções: Google Drive e aplicativos. Criar, editar e compartilhar Documentos, Apresentações, Planilhas e Formulários. Fazer upload e download de arquivos em diversos formatos;
    • Explorar os recursos: Criar um Google Documento, Apresentação e Formulário/Planilha. Compartilhar e colaborar com os participantes;
    • Observar e aprender novas ideias a partir do compartilhamento com os colegas;
    • Pensar em atividades para a sala de aula.
  2. Educreations – aplicativo que utiliza o Tablet ou desktop para criação de videoaulas.
  3. Creative Commons – direitos autorais e mídias amigáveis para utilização de imagens, áudios e vídeos da Internet.
  4. Collaborize Classroom – plataforma de aprendizagem (on-line) gratuita para professores e alunos criarem debates, ampliarem as discussões e interagirem com planos de aulas, em uma comunidade privada.
  5. Padlet – aplicativo da Web que permite a criação de um mural virtual onde é possível adicionar textos, imagens, vídeos e endereços de sites.
  6. ThingLink – permite transformar uma foto estática numa imagem interativa, enriquecida com links, áudios, vídeos, perfis de redes sociais, textos e outros conteúdos relacionados.
  7. Today´s Meet – chat instantâneo.
  8. YouTube – local para o compartilhamento de vídeos. Criar um canal. Refletir sobre projetos.
  9. Hangout – recurso que possibilita videoconferências.

Para alguns professores, o curso foi o primeiro contato com as ferramentas apresentadas. A cada aula, além das instruções dadas sobre o funcionamento dos programas, foram postadas as respectivas videoaulas, que poderiam ser retomadas pelo professor, caso fosse necessário. Os participantes precisavam refletir sobre a aplicabilidade dos recursos e fazer o compartilhamento com os colegas.
Durante o curso, observamos como os aplicativos encaixavam-se às necessidades dos professores e como podiam levar algum frescor à sala de aula e estímulo aos alunos na construção de seu conhecimento.
Como integrar as ferramentas aprendidas ao planejamento por componente? Essa foi a questão final do curso para a prática do professor. Educreation para criação de videoaulas em História, ThingLink para dar vida a imagens e textos na História da Filosofia, Padlet na construção de mural para o Estudo do Meio, Google Docs e a história do Taekwondo em Educação Física e Google Apresentação para a sistematização do Modernismo de 1922 em Literatura. Esses foram alguns dos projetos pensados pelos frequentadores do curso e, depois, detalhados para serem aplicados em sala de aula.
Após o término do curso, continuamos nossa troca e acompanhamos projetos desenvolvidos pelos participantes, como, por exemplo, a capacitação dos professores do Colégio Santa Amália para o uso das novas tecnologias.
Compartilhar, colaborar, refletir, errar e aceitar, modificar, inspirar-se e aprender com os outros, criar novas ideias para enriquecer o repertório de cada um, tudo parece formar um círculo contínuo quando se pensa em trabalhar com a Internet e a Educação.