Como ensinar crianças que já ‘nascem sabendo’?

Como ensinar crianças que já ‘nascem sabendo’?

Do Colégio

10 Dezembro 2015 | 09h36

Educar é uma tarefa difícil. Ensinar o alfabeto, palavras e seus significados para as crianças, por exemplo, leva tempo e dedicação. É verdade que a tecnologia facilitou e agilizou parte desse trabalho. No entanto, como utilizar corretamente seus benefícios em prol da educação, já que as crianças de hoje estão crescendo em um ambiente tecnológico no qual as informações estão disponíveis ao simples toque? Não se pode esquecer o lado negativo desta evolução: o sedentarismo e a dependência que a tecnologia causa.

Então, como ensinar os pequeninos a utilizar tudo que este universo tecnológico traz sem deixar de praticar exercícios físicos, essenciais para o desenvolvimento? E como ensiná-los se, muitas vezes, são eles que nos ensinam a lidar com tablets, computadores e smartphones?

Diante desse cenário, as escolas e seus educadores estão inovando o modo de ensino, utilizando novas tecnologias educacionais, o que desperta o interesse do aluno. No colégio Liceu Santa Cruz, além da utilização da tecnologia, as crianças de até cinco anos aproveitam um espaço exclusivo, reservado especialmente para elas. A programação diária é composta por atividades a partir de rodas de conversas, aulas de artes visuais, música, teatro e educação física.

Alunos do Liceu Santa Cruz interagindo com a Mesa Alfabeto. Foto: Divulgação.

Alunos do Liceu Santa Cruz interagindo com a Mesa Educacional. Foto: Divulgação.

Aliado a isso, é feito o uso de recursos audiovisuais como a Mesa Educacional Alfabeto, que coloca a tecnologia a serviço da aquisição da linguagem escrita. Ela utiliza animações, material concreto, vídeos e recursos sonoros para criar um ambiente interativo e estimulante.

Na mesa, um grupo de até seis crianças encaixa blocos coloridos em um módulo eletrônico e, assim, aprende a reconhecer letras, construir palavras, associar as palavras aos seus significados, ler, criar e interpretar textos, tudo de maneira mais prazerosa. Por meio de sons e a manipulação de materiais, a mesa contribui para um processo de aprendizagem mais interativo, o que aumenta o interesse do aluno e, consequentemente, acelera seu desempenho.

Como a atividade acontece em grupo, a tarefa ainda fortalece os laços de amizade e solidariedade, pois as crianças que não têm dificuldades de interação com a Mesa Educacional ajudam os amigos e todos se divertem.

Os alunos se ajudam durante atividade na Mesa. Foto: Divulgação.

Os alunos se ajudam durante atividade na Mesa. Foto: Divulgação.

Então, respondendo à questão inicial, é possível transformar a alfabetização em um processo mais interativo, divertido e interessante com o auxílio da tecnologia. Basta aproveitar seus benefícios, mas sem esquecer das demais atividades, especialmente as físicas. A união desses dois quesitos faz com que as crianças cresçam e aprendam a importância de cada um deles.