Reclassificação. O caminho para que o aluno recupere a motivação

Reclassificação. O caminho para que o aluno recupere a motivação

Colégio Graphein

12 Janeiro 2016 | 14h51

aprovadoCaso o estudante não tenha aprendido em tempos iguais e determinados ao padrão estabelecido pela instituição escolar, lá vem ela: a reprovação. Ela surge como matriarca do ensino que tem como modelo o professor como um transmissor de conhecimentos e o aluno como um mero receptor. Além disso, espera-se desse sujeito “homogeneidade” com os demais sujeitos.
O fato de não caminhar de acordo com os demais e não aprender e adquirir os conhecimentos a partir das estratégias padronizadas para tal padrão nem sempre significam fracasso, e levam o sujeito que dedicou-se ao ato de aprender, a desmotivar-se e não mais querer investir em seu ato de conhecer.
Neste momento surge o serviço de Reclassificação Escolar, oferecido pelo

, quando aplicada com critérios claros e compromisso, traz bons resultados dentro e fora da sala de aula.Trata-se de uma ferramenta de inclusão, com foco no trabalho pedagógico e na aprendizagem e nos ajuda a refletir sobre quais são os verdadeiros motivos que devem envolver uma reprovação.
É desta forma que o Colégio Graphein trabalha: de forma compromissada, no âmbito psicopedagógico, para que possamos realizar o resgate dos conteúdos conceituais deste aluno e também cuidar dos aspectos emocionais, alicerce para uma aprendizagem autônoma e prazerosa.
Nossa equipe técnica e corpo docente realizam um acompanhamento muito próximo a cada aluno que ingressa em nossa escola dentro do serviço de Reclassificação Escolar. Fazemos uma ampla sondagem para que possamos conhecer esse aluno, seu histórico, sua relação com o ato de conhecer e sua modalidade de aprendizagem e assim iniciarmos a elaboração de seu Projeto Singular, onde serão trabalhados os conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais pertinentes ao seu perfil como sujeito e, consequentemente, levá-lo ao êxito como estudante.
Ao falarmos de Reclassificação Escolar, não podemos deixar de citar a Progressão Parcial, que também vem ao encontro de respeitarmos as singularidades dos alunos, que podem avançar nas demais disciplinas sem ficarem estagnados em função do fracasso em outras. O tempo destinado à metodologia e avaliação neste processo, farão parte de um plano de trabalho elaborado pelo professor, em conjunto com a equipe técnica, considerando as aprendizagens já realizadas, as lacunas pedagógicas e os conteúdos a serem aprendidos.
No Colégio Graphein trabalhamos com a Progressão Parcial, que também ganhou destaque na LDB 9394/96.
Tais procedimentos vem ganhando destaque em função das novas reflexões sobre os “culpados” em relação ao processo de reprovação escolar. Temos caminhado, felizmente, para deixar de lado a visão de aluno como único responsável pela sua reprovação e refletido mais amplamente no que diz respeito ao processo educacional como um todo, envolvendo o papel do professor, da escola e da família.

Dra. Nívea Fabrício, diretora do Colégio Graphein e presidente da ANDEA Associação Nacional de Dificuldades de Ensino e Aprendizagem