Atividades que aplicamos no Colégio Graphein com crianças que apresentam dificuldades nas habilidades sociais

Atividades que aplicamos no Colégio Graphein com crianças que apresentam dificuldades nas habilidades sociais

Colégio Graphein

21 Agosto 2015 | 14h57

Contemplamos em nosso cotidiano uma série de atividades para ajudar a melhorar as habilidades sociais de nossos alunos que podem ser desenvolvidas dentro e fora de sala de aula.

Compartilhamos com vocês algumas delas!

 

 

– Atividades que proporcionam o contato visual

O contato visual mostra aos outros que estamos interessados ​​no que eles têm a dizer. Sendo assim, é necessário estimular essa capacidade básica necessária para a socialização. Para fazer isso propormos:

 

1. Um concurso de encarar

Se as crianças estão em idade competitiva, adoram brincar de “quem ganha?”. A brincadeira é encarar e o quem desviar os olhos primeiro perde. Parece bobo, mas pode render excelentes resultados.

 

2 . Olhos na testa

Pode parecer louco, mas é divertido! Coloque um adesivo de um olho ou um par de olhos na testa da outra pessoa. Incentive a criança a olhar para os adesivos. Pode não ser exatamente olhar para olhos do outro, mas ele está treinando a olhar na direção certa de uma forma engraçada e menos ameaçadora.

 

3. Oscilante

A dupla deve tentar manter o contato visual enquanto a criança se mexe no balanço. A criança pode tentar alcançar com os pés o adulto enquanto olha para ele. O adulto pode vez por outra tocar no pé da criança. Essa informação sensorial pode ser calmante e permitir que a criança se concentre mais no adulto. Elogiar sempre e dizer como era bom ter a criança olhando para seus olhos.

 

– Atividades para ter domínio da língua

Expressões idiomáticas, mesmo em crianças sem deficiências, são muito confusas. Imagine isso com crianças que já têm dificuldades de compreensão… Bem, pensando nisso, aqui estão algumas atividades que podem ajudar crianças com idiomas incluem:

 

1. Use livros

Há muitos livros que ilustram e explicam expressões idiomáticas. Depois tente contrair com a criança um livro onde ele escreve e ilustra o próprio livro de expressões idiomáticas que ouviu e aprendeu!

 

2. Use sites

Existem muitos sites que listam expressões idiomáticas ou têm jogos para tentar adivinhar o que realmente significa a expressão idiomática.

 

3. Jogo da “memória idiomática”

Escreva expressões idiomáticas em um conjunto de cartas e seus significados em outro. A criança tenta emparelhá-las.

 

– Interpretação emoções sociais

Esta habilidade é importante em casa, na escola e no parque infantil. Muitos desentendimentos surgem de crianças interpretando mal as emoções dos outros ou, no mínimo, perde-se a oportunidade de interagir.

 

1. Mímicas de emoção

Em vez de usar títulos de filmes, animais ou outras palavras típicas, use emoções. Anote sentimentos em pedaços de papel. Os participantes escolhem um pedaço de papel e, em seguida, devem tentar imitar qual emoção está escrita no papel.

Você pode tornar o jogo mais difícil definindo a regra que diz que você não pode demonstrar a emoção através do rosto, mas deve usar a linguagem corporal ou o desenho para imitar uma situação que levaria a que a emoção (por exemplo, para a tristeza, pode desenhar um garoto sentado sozinho em um banco, ou um dia de chuva, etc).

 

2. Espelho, espelho meu!

Jogos assim são uma maneira de trabalhar a interação social. Como em uma aula de atuação, você pode tentar “espelhar” a criança. Toque o nariz ou estique a língua e ela tem que imitá-lo. Fazer caretas que a criança pode copiar.

 

3. Bingo

Você pode usar as imagens do jogo das “mímicas de emoção” e imprimir como placas de bingo.

 

– Conversação

Quando as pessoas têm uma conversa elas escolhem um tema para discutir. Cada pessoa acrescenta algo à conversa até que a conversa terminou, ou o tópico mudou. Às vezes é difícil para as crianças a permanecer no tópico e participarem/acompanharem uma conversa regular. Aqui estão algumas atividades para ajudar a desenvolver uma conversa.

 

1. Tópicos de conversa

Use o alfabeto. Cada letra tem que ser o início de uma palavra, um tema, como fruta ou vegetal (B… banana, C… cenoura). Conscientizar a criança que cada palavra daquela pode ser um assunto e exemplificar o que diria sobre isso.

 

2. Contação de história improvisada

Para jogar este jogo coloque fotos de diferentes emoções com a face para baixo sobre a mesa. Em seguida, os jogadores decidem em conjunto sobre alguns elementos que devem aparecer na estória (por exemplo, um deserto ártico, uma lêmure e uma banana). O objetivo é que os jogadores se revezem fazendo narrativa.

Para começar o primeiro jogador pega uma carta e começa a narrativa. Ele pode levar a estória em qualquer direção que ele gosta, mas ele deve incorporar a emoção descrita no cartão. Depois de um minuto ou dois, o próximo jogador pega um cartão e continua a narrativa. Os jogadores continuam a se revezar até que eles usem todos os elementos necessários e a história chegue a uma conclusão satisfatória.

Crianças com déficits de habilidades sociais muitas vezes têm dificuldade de ler expressões e interagir socialmente, por isso as atividades que os deixem mais à vontade com estas situações sempre são uma ótima ideia.

E você sugere alguma outra atividade?

Cátia Alves – Coord. Pedagógica

DSC04439 CIMG4336