Adaptação na PV: Ensino Fundamental

Adaptação na PV: Ensino Fundamental

Cibele Barreto

07 Fevereiro 2018 | 20h02

Ensino Fundamental Escola Projeto Vida

A entrada na escola nova, na  unidade do Ensino Fundamental ou ainda  a mudança de grupo representam muitos desafios para os alunos e suas famílias. Entendemos esse momento como um marco de crescimento para todos, principalmente para as crianças e adolescentes. Acontece um desequilíbrio saudável e, através desse fenômeno, vivenciamos experiências que exigem a descoberta e o aprendizado de novos recursos para a adaptação.

Crianças e adolescentes começam a descobrir, em si, novos potenciais que não sabiam que tinham e se sentem muito bem quando resolvem seus próprios problemas. Porém, comuns ao crescimento e à adaptação, outros sentimentos surgem com frequência, como a frustração, a insegurança e o medo. Os professores, que atuam nessa faixa etária, com bastante experiência, propõem situações e atividades que levam em consideração essa singularidade.

Adaptação é um conceito muito amplo, como a  idéia de adaptação apresentada por Charles Darwin:  ação de adaptar-se que um organismo vivo realiza para tornar-se apto a viver em um meio diferente daquele em que se encontrava.

As adaptações são tantas que passamos a maior parte de nossa existência neste processo, muitas vezes sem termos consciência: de variações climáticas, invasões por novos vírus e bactérias nocivas à saúde, novos conceitos de alfabetização às exigências do mundo tecnológico, temos que, necessariamente, adaptarmos nosso funcionamento tanto biológico quanto psíquico, a cada “novo” que surge.

Devido à sua importância, a adaptação escolar na Projeto Vida constitui-se como uma diretriz do trabalho pedagógico.  O objetivo é ajudar o aluno a adaptar-se à nova rotina, às novas exigências de organização e à  postura de estudante que se espera dele.

A adaptação não só  atinge os alunos; ela envolve toda comunidade escolar, desde os educadores e demais funcionários da instituição, até cada um dos membros familiares. Por isso é preciso delicadeza, paciência, acolhimento e aposta em todos os envolvidos.

Na Projeto Vida, as dificuldades para os alunos nesse processo são compreendidas pelos educadores como “adaptação” sob o olhar do “acolhimento” e indissociáveis do compromisso de estabelecer vínculos, ou seja, estamos prontos para recebê-los de maneira a garantir condições para a construção da autonomia, levando em consideração afetividades importantes, num momento de tantas transformações (espaço social e responsabilidades).

Lembrando:  a palavra afeto vem do latim affectu (afetar, tocar) e constitui o elemento básico da afetividade. No dicionário, são sentimentos e paixões, acompanhados sempre da impressão de dor, insatisfação, de agrado ou desagrado, de alegria ou tristeza.

Então, queremos que o desconforto, a ansiedade e o medo gerados pelo “novo”, tanto nos alunos como nos pais, sejam minimizados pela certeza de abertura para o diálogo, pela convicção nas ações que levam à construção gradativa de apropriação das rotinas e todas as mudanças que delas decorrem.

Que nossas relações sejam alicerçadas na confiança do compartilhar e na perspectiva de experiências afetuosas e produtivas!

Sejam bem-vindos!

Educadores da Projeto Vida – Unidade do Ensino Fundamental.