Uma nova estratégia para superar a falta de vagas em creches
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uma nova estratégia para superar a falta de vagas em creches

Alessandra Gotti, advogada e membro do Grupo de Trabalho Interinstitucional sobre Educação Infantil de SP, fala sobre como o diálogo e o planejamento podem solucionar a fila de espera

Todos Pela Educação

16 Agosto 2017 | 11h20

Com uma fila de espera na casa dos milhares, a cada dia, 70 famílias entram com um pedido na Justiça para conseguir uma vaga em Creche no município de São Paulo. O resultado é uma intensa judicialização da Educação Infantil, que, além de não resolver a falta de vagas, cria um conflito entre aqueles que passam para o início da fila via judiciário e os que aguardam pacientemente por cerca de 400 dias, conforme aponta Alessandra Gotti, advogada, sócia-efetiva do Todos Pela Educação e membro do Comitê de Assessoramento à Coordenadoria da Infância e Juventude e do Grupo de Trabalho Interinstitucional sobre Educação Infantil (GTIEI).

Conversamos com a especialista sobre a função desse comitê e a nova engenharia jurídica que tem sido colocada em prática no município de São Paulo para vencer o descompasso entre o número de vagas em creches e a demanda da população. Segundo a especialista, o planejamento acompanhado por um comitê e precedido de audiências públicas pode fazer a diferença na garantia de Educação Infantil de qualidade para todos. Confira no vídeo.