Ensino Híbrido e a Sala de Aula Invertida: o aluno como protagonista do próprio aprendizado

Lina Nonaka

28 Março 2018 | 06h18

Sala de Ensino Híbrido do Colégio Prudente de Moraes

O Ensino Híbrido, ou blended learning, é uma das maiores tendências da Educação do século 21, que combina o ensino presencial com o ensino online, integrando a Educação com a tecnologia, que já está presente na vida dos estudantes. Ele envolve a utilização das tecnologias com foco na personalização das ações de ensino e de aprendizagem, apresentando aos educadores formas de integrar tecnologias digitais ao currículo escolar. Além disso, essa abordagem apresenta práticas que integram o ambiente online e o presencial, permitindo com que os alunos aprendam mais e melhor, no seu ritmo. Segundo Julia Freeland Fisher, especialista em educação e uma das diretoras do Clayton Christensen Institute, entidade que estuda a inovação em diversos setores, o ensino híbrido é o futuro da educação.

Segundo a especialista sobre o assunto no Brasil, Lilian Bacich, na adoção do Ensino Híbrido é necessário repensar a organização da sala de aula, o plano pedagógico e a gestão do tempo para favorecer os momentos de interação, colaboração, envolvimento com o tema e o uso das tecnologias digitais para inovar o modelo tradicional de ensino e transformar os alunos em protagonistas do próprio aprendizado.

Criando réplicas de fósseis

Seguindo esta tendência de parceria entre educação e tecnologia, surgiu a Sala de Aula Invertida, ou Flipped Classroom, criada pelos professores norte-americanos de Química, Jonathan Bergmann e Aron Sams. Nessa metodologia, os alunos têm autonomia maior para estudar os conteúdos das aulas antecipadamente em casa, por meio de material digital fornecido pela escola (textos, vídeo aulas, games educativos, e outros). Neste momento, os pais podem participar deste processo com os filhos.  Invertendo o processo tradicional, onde a aula acontece antes, o aluno expõe o que compreendeu, esclarece suas dúvidas e o professor atua como orientador e conduz a reflexão sobre o tema de maneira a possibilitar a construção de conhecimento de maneira relevante para o aluno, pois ele é o protagonista do processo.

A Sala de Aula Invertida promove também uma maior conexão entre os estudantes e deles com o professor ao criarem o hábito de compartilharem as informações para solucionarem questões e projetos em conjunto, habilidades tão importantes para a vida em sociedade e corporativa.

Em 2015, o Colégio Prudente de Moraes começou a implementação dessas metodologias inovadoras (Ensino Híbrido e Sala de Aula Invertida), quando iniciou a preparação dos professores neste novo formato de educação. No ano seguinte, implantou as ferramentas do Google for Education, capacitou sua equipe de professores e coordenadoras e adquiriu chromebooks para serem utilizados em sala de aula.

Alunos pesquisando conteúdos na estação Digital

Em 2018, o investimento aconteceu na reformulação da Sala de Informática e sua transformação em sala destinada ao Ensino Híbrido. Novos equipamentos e móveis foram adquiridos para montar as estações de pesquisa. Nelas, cada grupo pesquisa sobre um único tema definido pelo professor, mas sobre diferentes aspectos. Neste formato, o professor atua como mentor do processo e auxilia os alunos de forma personalizada.

Os professores do Colégio Prudente já implementaram as novas metodologias em sala de aula. Eles perceberam que todos os alunos ficam comprometidos e motivados com essa nova forma de aprender, assim como os professores em ensinar.

“O compromisso do Colégio Prudente é proporcionar ao aluno uma maneira de aprender de forma significativa e contextualizada, promovendo o desenvolvimento de habilidades e competências para o século XXI”, declarou a diretora pedagógica Nilcimar Mazetto Veronezi.

Criando ilustrações para a apresentação do trabalho

 

 

 

 

 

 

Alunos na estação Livro

Pesquisando matérias publicadas sobre fósseis na estação Notícias